Terça-Feira, 29 de Setembro de 2020

União
Terça-Feira, 11 de Agosto de 2020, 19h:09

DEBANDADA

Mais dois secretários pedem demissão da área econômica e Guedes fala em debandada

Da Redação

Marcello Casal Jr/Agência Brasil

O Ministério da Economia sofreu mais duas baixas nesta terça-feira (11). Deixaram a pasta os secretários especiais de Desestatização, Salim Mattar, e de Desburocratização, Gestão e Governo Digital, Paulo Uebel.

As demissões foram confirmadas pelo ministro Paulo Guedes em entrevista, quando saiu de uma reunião no Ministério da Economia com o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ).

“Se me perguntarem se houve uma debandada hoje, houve”, disse Guedes. Paulo Guedes disse que o governo vai "avançar com as reformas". "Nossa reação à debandada que ocorreu hoje vai ser avançar com as reformas", disse o ministro.

Já são seis baixa na equipe econômica do Ministério. Já haviam saído anteriormente:

- Marcos Cintra (ex-secretário da Receita Federal, demitido)
- Caio Megale (ex-diretor de programas da Secretaria Especial de Fazenda)
- Mansueto Almeida (ex-secretário do Tesouro Nacional, que pediu para sair)
- Rubem Novaes (ex-presidente do Banco do Brasil)

Paulo Guedes disse que o secretário Sallim Mattar afirmou que estava insatisfeito com o ritmo das privatizações. Rubem Novaes saiu diante da impossibilidade de privatização do Banco do Brasil.

Guedes reafirmou que não há apoio para uma eventual tentativa de furar o teto de gastos do governo.

“Não haverá nenhum apoio do Ministério da Economia a fura-tetos. Se tiver ministro fura-teto, eu vou brigar com ministro fura-teto”, disse.

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO