Quarta-Feira, 13 de Novembro de 2019

STJ
Terça-Feira, 15 de Outubro de 2019, 06h:59

STJ

Ministro do STJ diz que prisão para arrancar delação premiada é tortura

Redação

Reprodução

O ministro Nefi Cordeiro, do Superior Tribunal de Justiça (STJ)

O ministro Nefi Cordeiro, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), defende revisões nos acordos de delação premiada dentro do Ministério Público ‘para se garantir os direitos dos colaboradores’, informa reportagem de O Estado de S.Paulo

O juiz considera que é preciso respeitar a voluntariedade na delação.  Ele  condena em termos veementes a prisão preventiva fora das hipóteses legais, especialmente quando utilizada como incentivo à colaboração. Segundo ele, isto é tortura. "O Estado não pode fazer tortura para obter colaboração”, disse o ministro durante o 1.º Curso Nacional Corrupção e os Desafios do Juiz Criminal na última sexta, 11.  

Ele ainda falou que o Judiciário e o Ministério Público devem trabalhar juntos na aplicação da colaboração premiada, ‘porém cada um com o papel que lhe foi destinado pela Constituição Federal e pelas leis do país’.

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!