Domingo, 20 de Outubro de 2019

Municipal
Domingo, 22 de Setembro de 2019, 13h:19

ELEIÇÃO EM 2020

A CPI do Paletó terá reflexo político para Emanuel Pinheiro?

Cícero Henrique

Reprodução

Emanuel Pinheiro pegando propina

No meio político existe um ditado que vez ou outra é invocado: Rei morto, Rei posto. É bem claro e real. Assim que algum líder perde o poder, o mandato, o espaço em seguida já é ocupado por outra liderança. É o que pode ocorrer na vida política do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB). Em Cuiabá, cidade que administra, o emedebista vem sendo xingado e escanteado, perdendo apoio e interlocução. A sua "salvação", por ora, é a decisão da Mesa Diretora da Câmara Municipal de recorrer da decisão judicial que determinou a retomada da CPI em 48 horas. 

O prefeito abraçou o ex-governador Júlio Campos e chutou o balde de muitos correligionários. A oposição vem há muito tempo mostrando o modus operandi da atual gestão. 

Vídeo da propina do paletó

O vídeo da propina do paletó é outro inferno do prefeito Emanuel Pinheiro, que até hoje não conseguiu explicar, pelo contrário, ele sai gaguejando sem conseguir convencer ninguém, nem mesmo os puxa-sacos, que só estão ao seu lado por conveniência de cargos e alguns trocados. Para bom entendedor, meia palavra basta, preconiza outro ditado popular.

Apequenou-se

Outro sintoma da tibieza partidária e política do prefeito de Cuiabá, que sua atuação apequenou de vez. 

Evidentemente que tudo isso tem ligação direta com a possível perda de poder. Quando o sujeito está sem mandato, sem poder, as coisas se complicam. O desprestígio vem e cobra sua fatura. É o que aconteceu com políticos conhecidos em Mato Grosso, como o ex-governador Pedro Taques, José Riva e Silval Barbosa.

 

 

 

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO