Sexta-Feira, 14 de Dezembro de 2018

Mato Grosso

Terça-Feira, 04 de Dezembro de 2018, 08h:17

FRAUDES EM SERVIÇOS HOSPITALARES

Secretário de Saúde de Cuiabá é alvo da operação Sangria

Redação

Reprodução

Huark Douglas Correia

Onze mandados de buscas e apreensão são cumpridos na manhã desta terça-feira (04.12), na operação “Sangria”, deflagrada pela Polícia Judiciária Civil, por meio da Delegacia Especializada de Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública (Defaz), para apurar irregularidades em contratos de prestação de serviços médicos hospitalares, firmados com o município de Cuiabá e o Estado de Mato Grosso.

Os mandados de busca e a apreensão são cumpridos na Capital e foram expedidos pela 7ª Vara Criminal de Cuiabá, na investigação que visa arrecadar provas documentais para confirmar denúncia referente a um grupo de médicos, com participação societária oculta em três empresas de serviços médicos, na capital e interior do Estado.

Um endereço ligado ao secretário municipal de Saúde da Capital, Huark Douglas Correia, é alvo da operação. Huark é representante da empresa Sociedade Mato-grossense de Assistência em Medicina Interna, conhecida como ProClin, a mesma que tem contrato por 5 anos firmado com o Hospital São Benedito.  A CPI da Saúde na Câmara Municipal já havia apontado em setembro irregularidades ligando o secretário de Saúde Huark Douglas com as empresas.

Leia também:  Secretário de Saúde é denunciado por pagar R$ 10 milhões para própria empresa em Cuiabá

A investigação apura irregularidades em licitações e contratos firmados com as empresas Proclin (Sociedade Mato-Grossense de Assistência Médica em Medicina Interna), Qualycare (Serviços de Saúde e Atendimento Domiciliar LTDA) e a Prox Participações.

A operação é coordenada pelos delegados Lindomar Aparecido Tofoli, Sylvio do Vale Ferreira Junior e Maria Alice Barros Martins Amorim.

Participam da operação 70 policiais ( delegados, investigadores e escrivães) de unidades da Diretoria de Atividades Especiais (DAE) com apoio de delegacias da Diretoria Metropolitana, e da Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec).

Nome da Operação

O nome da operação “Sangria” é alusivo a uma modalidade de tratamento médico que estabelece a retirada de sangue do paciente como tratamento de doenças, que pode ser de diversas maneiras, incluindo o corte de extremidades, o uso de sanguessugas ou a flebotomia.

1 COMENTÁRIO:

Essa notícia é tão vaga que nem se quer ao menos deixa claro quem foi preso, ou ate mesmo se o Huark foi preso ou não.
enviado por: Anderson em 04/12/2018 às 16:55:43
0
 
0
responder

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO