Terça-Feira, 31 de Março de 2020

Mato Grosso

Segunda-Feira, 09 de Março de 2020, 16h:14

CRIMES VIRTUAIS

Prefeitura de Cuiabá é suspeita de disparar fake news sobre vereadores e governador

Segundo a denúncia apresentada pelo grupo de parlamentares e Abilio Junior, a Prefeitura de Cuiabá estaria disparando fake news usando a estrutura do IPTU. 

Jô Navarro

Cuiabá - Durante reunião na com o secretário de Estado de Segurança Pública de Mato Grosso, Alexandre Bustamante, na tarde desta segunda-feira (9-03), os vereadores Dilemário Alencar, Wilson Kero Kero, o deputado Ulysses Moraes e o ex-vereador Abilio Junior pediram que seja investigado o disparo de fake news contra eles por um número de celular usado para divulgar cobrança do IPTU na Capital.

Ouça o que disse Abilio Junior

Leia também: 

Abilio denuncia: Prefeitura de Cuiabá cedeu dados de contribuintes para empresa privada

O secretário Alexandre Bustamente afirmou que a denúncia de crime de internet (fake news) será investigada pela GERÊNCIA DE COMBATE A CRIMES DE ALTA TECNOLOGIA (GECAT), comandada pelo delegado Eduardo Botelho.

"Vou pedir que a Gecat priorize, tendo em vista a repercussão e o momento político que passa a baixada cuiabana", disse o secretário.

Tudo que é feito na internet deixa rastro

"O governador determinou que eu trabalhe em prol do Estado, independente de governo, e é isso que vai ser feito", explicou Bustamante.

O secretário de Segurança explicou que tudo que é feito na internet deixa rastro. "Deixando rastro a gente puxa o novelo e vai chegar até a finalidade", disse o secretário. 

Segundo o vereador Dilemário Alencar, o mesmo celular nº (66) 9951-5607 usado para disparar fake news sobre vereadores da oposição, o Chefe da Casa Civil Mauro Carvalho e o governador Mauro Mendes, é o mesmo usado para disparar notificações do IPTU para contribuintes cadastrados na Prefeitura. 

O vereador Dilemário afirmou que tem em mãos diversas fake news disparadas em massa que serão entregues ao delegado Eduardo Botelho, da Gecat.

Ouça

O banco de dados de contribuintes, inclusive dos cadastrados no programa Nota Cuibana, são sigilosos e não podem ser usados em benefício próprio, para campanha eleitoral, comercial,de promoção pessoal ou cedidos a terceiros. 

Lei Geral de Uso de Dados veda a cessão de dados pessoais a terceiros, exceto em casos específicos e com autorização do titular.

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO