Quarta-Feira, 21 de Agosto de 2019

Mato Grosso

Quinta-Feira, 01 de Agosto de 2019, 20h:18

ROSÁRIO OESTE

Menor denuncia estupro, suspeito confessa, mas polícia não abre inquérito

Passados 16 dias da denúncia de estupro, polícia ainda não abriu inquérito para apurar os fatos.

Jô Navarro

Reprodução

Ilustração

A adolescente R.L.S. (15), acompanhada de uma conselheira tutelar, registrou no dia 16 de julho um Boletim de Ocorrência (BO) na Delegacia de Polícia de Rosário Oeste (MT), no qual relata ter sido dopada e violentamente estuprada por um jovem com quem se relacionava, L.F (19).

Desde aquela data a vítima e familiares buscam justiça. Dezesseis dias depois do registro da ocorrência, a polícia ainda não instaurou inquérito para apurar os fatos e nenhuma medida protetiva foi oferecida à jovem, cuja família não tem recursos. O suspeito de cometer o estupro foi detido e levado para delegacia. Apesar de confessar a autoria, foi posto em liberdade no mesmo dia.

O advogado Daniel Ramalho, de Cuiabá, aceitou ser patrono da causa, atuando como assistente da acusação, "diante da inércia da polícia e do Ministério Público".

Segundo o advogado, a adolescente foi seduzida pelo rapaz que a convenceu a pular a janela do seu quarto para conversar com ele em frente a casa dos pais. Ela foi até ele, que passou a insistir em manter relações sexuais, mas ela recusou. L.F. a fez engolir "um comprimido branco" e pouco depois a jovem caiu em sono profundo, quando o rapaz consumou o estupro "de forma violenta".

O pai da jovem relatou para o Caldeirão Político que notou a ausência da filha e chegou a sair de moto para procurá-la nas imediações. Ao voltar para casa, o celular da filha tocou e a mãe atendeu, mas não respondiam. Nesse momento a mãe da adolescente disse que iria chamar a polícia. A ligação foi interrompida e pouco depois L.F. enviou mensagens para o celular do pai da garota, dizendo para não avisarem a polícia senão mataria sua filha.

Arquivo pessoal

Print ameaça

 

Já ao amanhecer os pais abriram a porta dos fundos da residência e encontraram a filha caída, desacordada. A polícia foi avisada e conseguiu capturar o suspeito, que foi levado para a delegacia, e teria confessado ter praticado o abuso. No entanto, mesmo depois de lavrado o B.O. e os pais apresentarem os prints das mensagens trocadas com o suspeito, ele foi solto no mesmo dia. 

Segundo o advogado, a jovem foi levada para Diamantino, onde foi submetida a exame de corpo de delito, mas não recebeu medicação para prevenir contaminação pelo vírus HIV.

Outro lado

Nossa reportagem tentou falar com o delegado responsável, Dr. Sued e com a escrivã que registrou o BO, sem sucesso. Angela, a oficial que atendeu nossa ligação, disse não ter permissão para falar sobre o caso, nem mesmo para informar se foi ou não aberto inquérito.

1 COMENTÁRIO:

Esse e daqueles crimes que causa indgnacao em qualquer pai de familia.
enviado por: Elina em 02/08/2019 às 13:43:44
0
 
0
responder