Terça-Feira, 19 de Novembro de 2019

Mato Grosso

Sábado, 01 de Junho de 2019, 10h:07

IMPORTAÇÃO DE GÁS BOLIVIANO

Mauro Mendes terá de negociar com operadora do gasoduto para viabilizar compra de gás boliviano

Mauro Mendes optou por deixar para um segundo momento as tratativas com a Âmbar Energia, controladora do gasoduto Brasil-Bolívia

Jô Navarro

Divulgação

O governador Mauro Mendes obteve permissão da Petrobras para que o governo de Mato Grosso negocie a importação de gás diretamente com a Bolívia. De acordo com a MT Gás, o Estado oficializou no dia 14 de maio o pedido de fornecimento de 2,5 milhões de m³ ao dia à empresa YPFB em um contrato firme, ou seja, a empresa é obrigada a entregar a quantia de gás contratada.

O contrato vigente é o chamado interruptivo, em que a empresa não tem a obrigação de entregar todo o gás pactuado. Além disso, o atual montante contratado é de 1,5 milhões de m³ ao mês. 

Ainda segundo a MT Gás, o contrato firme contribui para que as empresas tenham segurança jurídica para a cadeia produtiva do gás natural. Durante 15 anos de existência da MT Gás, Mato Grosso nunca teve um contrato firme.

Petrobras x Âmbar Energia

A Petrobras detém o monopólio de fornecimento de gás boliviano no Brasil e rompeu o contrato de entrega que tinha com a Âmbar Energia, empresa do grupo J&F. O trecho brasileiro do gasoduto é de propriedade da GasOcidente. Já a Âmbar Energia, empresa do grupo J&F controla a operação do gasoduto.

A Âmbar, por sua vez, suspendeu as operações em 2018, numa reação ao arquivamento, pela Superintendência-Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE), de ação movida pela empresa em que acusa a Petrobras de conduta anticoncorrencial no fornecimento de gás natural.

A comitiva de Mato Grosso que reuniu-se na última quinta-feira (30-05) com o presidente da Bolívia, Evo Morales, e com o ministro Luis Alberto Sánchez Fernández, do Ministério de Hidrocarbonetos, para dar início às tratativas da comercialização do gás boliviano não teve nenhum representantes da Âmbar Energia. O governador Mauro Mendes foi acompanhado dos secretários Mauro Carvalho (Casa Civil) e Rogério Gallo (Fazenda), além do presidente do MT Gás, Rafael Reis, do diretor comercial do MT Gás, Juliano Calçada, e do consultor Vanderlei Reck Júnior.

Tratativas na Bolívia

Durante o encontro, realizado em Santa Cruz de la Sierra, o governador Mauro Mendes assinou um termo de desenvolvimento de mercado com o Governo Boliviano para aprofundar a integração energética entre o Estado e a Bolívia, com foco na retomada da comercialização do gás boliviano.

Governo da Bolívia

Reunião com Morales

 

“Nós discutimos a cooperação e possível parceria do governo boliviano, por meio do Ministério e da Yacimientos Petroliferos Fiscales Bolivianos (YPFB) [empresa pública boliviana] com o MT Gás. Nosso objetivo é contribuir para desenvolver a comercialização, junto com o MT Gás, do gás natural, do GLP e da ureia, em parceria com o governo boliviano”, explicou o Mendes.

O próximo encontro entre os dois governos está marcado para o próximo mês, em Cuiabá. “O ministro Luis Sánchez estará em Cuiabá para darmos continuidade às tratativas para o desenvolvimento em conjunto desse mercado, com as empresas MT Gás e a YPFB”, destacou o governador.

O governo de Mato Grosso está priorizando, nesta fase, a compra do gás, e optou por deixar para um segundo momento as tratativas com a responsável pelo transporte do gás boliviano via gasoduto, a Âmbar Energia. 

Nossa redação entrou em contato com representantes da Âmbar Energia por telefone e por e-mail, mas até o momento desta publicação a empresa não respondeu. 

 

 

 

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO