Segunda-Feira, 19 de Agosto de 2019

Mato Grosso

Sábado, 10 de Agosto de 2019, 09h:13

PARENTE DE RÉ

Juiz federal Jeferson Schneider deixa ação da operação Sangria

Da Redação

reprodução

O juiz da 5ª Vara Federal de Mato Grosso, Jeferson Schneider, afastou-se da operação Sangria. Ele alegou suspeição por ter afinidade em linha reta com a ré Celita Liberali.

A operação Sangria passou a ser investigada pela Justiça Federal em Mato Grosso considerando que as verbas destinadas ao SUS devem ser fiscalizadas pelo Ministério da Saúde, de competência federal.

Foram denunciados na operação Sangria o ex-secretário de Saúde de Cuiabá, Huark Douglas Correia, o ex-adjunto da Pasta Flávio Alexandre Taques da Silva, além de Fábio Liberali Weissheimer, Adriano Luiz Sousa, Kedna Iracema Fonteneli Servo, Luciano Correa Ribeiro, Fábio Alex Taques Figueiredo e Celita Natalina Liberali.

A Orcrim comandou esquema de fraudes em licitações beneficiando as empresas Proclin, Qualycare e Prox Participações por meio de contratos firmados com o Município de Cuiabá e o Estado.

Leia também: Abilio Junior publica vídeos inéditos com detalhes da fiscalização que resultou na operação Sangria

Operação Sangria
A operação Sangria foi deflagrada pela Delegacia Fazendária no dia 4 de dezembro de 2018. No dia 18 de dezembro foi deflagrada a segunda fase da operação, após apuração de obstrução ao trabalho da Justiça. Foram presos nesta data Fábio Liberalli, médico, um dos sócios da Qualycare; o empresário Adriano Luis Alves de Souza; o ex-secretário de Saúde de Cuiabá Huark Douglas Correia;Kedna Iracema Fonteneli Servo; o médico Luciano Correa Ribeiro; Flávio Alexandre Taques da Silva; Fábio Alex Taques Figueiredo e Celita Natalina Liberali. Eles foram libertados ainda em dezembro após decisão do TJMT.

Vale lembrar que as investigações começaram com a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde na Câmara Municipal de Cuiabá , presidida pelo vereador Abilio Brunini Junior.

Segundo apurado até agora na investigação, os líderes do esquema são Huark Douglas Correia e os médicos Luciano Correia Ribeiro e Fábio Liberali Weissheimer. 

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO