Quinta-Feira, 02 de Julho de 2020

Mato Grosso
Quarta-Feira, 27 de Maio de 2020, 12h:12

CÂMARA DE CUIABÁ

Irmão do prefeito Emanuel Pinheiro não depõe na CPI do Paletó

Cícero Henrique

Reprodução

Emanuel Pinheiro e Popó

Cuiabá - O irmão do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), Marco Polo de Freitas Pinheiro, o Popó, alegou vínculo de parentesco e não depôs na CPI do Paletó na Câmara Municipal. O vereador Felipe Wellaton (Cidadania) decidiu então apresentar um novo requerimento para convocar a esposa dele, Bárbara Helena Pinheiro, que é sócia do instituto de pesquisa Mark.

A negativa de Popó, por um lado, não surpreende. Mas, por outro, desperta ainda mais dúvidas, já que é, segundo Emanuel Pinheiro, o dono do dinheiro que colocou nos bolsos no famoso 'vídeo do paletó'. Popó foi convocado na qualidade de testemunha, mas preferiu calar.

Emanuel alegou que os maços de dinheiro que recebeu seriam para quitar uma dívida entre o então governador Silval Barbosa e o seu irmão Popó.

Próximos depoimentos

O ex-deputado estadual José Geraldo Riva, que teve processo de delação premiada homologado pelo Tribunal de Justiça, será ouvido na CPI do Paletó dia 3 de junho.

A CPI do Paletó foi instaurada em novembro de 2017, logo após a divulgação, em rede nacional, do vídeo gravado na sala de Silvio Correa, ex-chefe de gabinete de Silval Barbosa, que flagrou vários deputados, inclusive Emanuel Pinheiro, recebendo maços de dinheiro. Segundo depoimento de Silval à CPI, o dinheiro "era pagamento de propina, de extorsão".

Saiba mais sobre este assunto:

Silval Barbosa depõe na CPI do Paletó e cita Blairo Maggi e Paulo Prado

Silvio Corrêa confirma pagamento de propina para Emanuel Pinheiro

VEJA O 'VÍDEO DO PALETÓ'

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO