Domingo, 20 de Outubro de 2019

Mato Grosso

Terça-Feira, 08 de Outubro de 2019, 08h:50

OPERAÇÃO TRYPE

Garimpeiro foi morto depois de atirar contra agentes do Bope, diz PM

Segundo a PM, Bope reagiu a disparos efetuados pelo garimpeiro, que morreu no local. O clima é tenso na cidade e há protestos.

Da Redação

Divulgação/PF

 A equipe do Batalhão de Operações Especiais (Bope) reagiu a disparos de espingarda e atingiu um garimpeiro com dois tiros na região do tórax, durante a Operação Trype, deflagrada na segunda-feira (7) em conjunto com a Polícia Federal e as forças de segurança estadual, numa parceria com a Secretaria de Estado de Segurança Pública. Também dão apoio à ação fiscais do Ibama e da Secretaria Estadual de Meio Ambiente.

Segundo informações da PM, os policiais do Bope foram os primeiros e entrar na área do garimpo, atendendo ao cumprimento de uma ordem judicial que determina intervenção na área de garimpo ilegal, localizado na Serra de Santo Expedito, a 13 km da cidade de Aripuanã (1200 km de Cuiabá).

Ao fazer a segurança do local antes da entrada das demais equipes da Polícia Federal, Sistema Penitenciário, Polícia Judiciária Civil (PJC), Corpo de Bombeiros, Grupo de Operações Especiais (GOE) da PJC, Politec, Polícia Militar, Força Tática, Rotam e os fiscais do Ibama e da Sema, os policiais do Bope observaram que haviam vários barracos alguns vazios e outros ocupados por garimpeiros.

Divulgação/PF

PF desocupa garimpo

 

A PM informa que que os garimpeiros foram orientados para sairem e fossem para um local de triagem para fazer a varredura. Neste momento, em um dos barracos, um garimpeiro de nome não identificado, disparou tiros contra os policiais do Bope. Em razão disso, um dos policiais revidou a agressão e acertou dois tiros no garimpeiro.

A pessoa foi socorrida e levada para o Hospital Municipal Santo Antônio, contudo, já havia falecido.

No barraco dele foram encontradas duas espingardas cartucheiras, uma de cano longo e outra de cano curto, de calibre não identificado. Além disso, havia invólucros de pólvora, chumbo, pote com espoleta, cartuchos intactos e outros deflagrados, além de dois invólucros de quantidade não especificada de substância semelhante a ouro.

Garimpo ilegal

O garimpo ilegal esta em funcionamento desde outubro de 2018 e atualmente estima-se uma população flutuante entre mil a 1,5 mil pessoas. No local há pessoas armadas e isso tem contribuído para homicídios no local. Além disso, há outros crimes cometidos no local como: ambientais, contra o patrimônio e tráfico ilícito de drogas.

 

Divulgação/PF

Dano ambiental

 

 

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO