Terça-Feira, 20 de Novembro de 2018

Mato Grosso

Sábado, 27 de Outubro de 2018, 09h:03

RADICALIZAÇÃO

Empresário afirma ser vítima de difamação e boicote por apoiar Bolsonaro

Ataques radicais aumentaram com a proximidade do segundo turno. PF identifica suspeitos de incitar violência contra eleitores de Bolsonaro.

Jô Navarro

Arquivo pessoal

Empresário diz estar sendo alvo de perseguição nos grupos de WhatsApp por apoiar Jair Bolsonaro

Um restaurante em Cuiabá (MT) está sofrendo represálias de grupos de esquerda depois seu proprietário postou um vídeo nas redes sociais declarando apoio ao presidenciável Jair Bolsonaro (PSL). Fernando Medeiros, dono do restaurante Japidinho, relatou para o Caldeirão Político que vem sendo atacado nos grupos de WhatsApp por apoiar publicamente Jair Bolsonaro. Ele é coordenador da campanha do presidenciável na Capital.

Segundo o empresário, tudo começou antes do primeiro turno das eleições, depois que ele postou um vídeo, em tom pacífico, pedindo respeito, tolerância e afirmando apoio a Bolsonaro. "Começaram uma serie de ataques contra a empresa me caluniando em grupos de Whatsapp pelo simples fato de apoiar Bolsonaro. Mas eu nunca envolvi minha empresa diretamente na politica", relata o empresário.

O empresário relata ainda que foi surpreendido com uma Recomendação do Ministério Público do Trabalho, assinada pela Procuradora Lys Sobral Cardoso, para que deixe de pedir voto dos seus funcionários, alegando que estaria assediando os trabalhadores. Fernando nega qualquer tipo de assédio contra funcionários do restaurante e já acionou seus advogados para as providências cabíveis ao caso.

Leia também:
Jovem marcou suástica no próprio corpo, afirma polícia

Movimentos de esquerda também acusaram Luciano Hang, dono das Lojas Havan, de supostamente assediar funcionários exigindo voto em Bolsonaro. Nas redes sociais o empresário recebeu apoio dos chamados 'bolsonarianos', mas isso não impediu que fosse atacado moralmente nas redes sociais.

Operação Bravata

Na tarde de ontem (26) a Polícia Federal deflagrou a Operação Bravata, com o objetivo de impedir a prática de violência contra eleitores de Jair Bolsonaro.

Policiais federais cumpriram cinco mandados de busca e apreensão contra militantes petistas no estado de Sergipe. Foram apreendidos celulares, notebooks e mídias de armazenamento digital.

Segundo a PF, as investigações apontam que os suspeitos incitavam e planejavam a prática de atos violentos contra eleitores, caso Bolsonaro vença as eleições no próximo domingo. A comunicação era feita por meio de grupo em aplicativo de troca de mensagens.

 

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO