Sexta-Feira, 14 de Agosto de 2020

Mato Grosso

Sexta-Feira, 03 de Julho de 2020, 18h:17

CUIABÁ

Classe médica reage a ataques de Possas: "Não somos covardes"

Redação

Reprodução/CRM-MT

Dra. Hildenete Monteiro Fortes, presidente do CRM-MT

O secretário de Saúde de Cuiabá, Luiz Antônio Possas de Carvalho, tenta encobrir os erros de sua gestão à frente da Secretaria culpando médicos, de forma grosseira, insultando e faltando com a verdade, denunciam médicos.

"O estado demorou para começar a ter casos de coronavírus, e quando chegou o momento Cuiabá não estava preparada, como ainda não está, pela ineficiência de Possas", comenta Diogo Leite Sampaio, vice-presidente nacional da AMB e presidente da Sociedade Matogrossense de Anestesiologia.

Segundo o médico, em seu discurso fácil, Possas tenta esconder a realidade: a falta de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para médicos e demais profissionais da saúde, a falta de leitos, a falta de medicamentos, entre outros. Prova disso é que o Ministério Público Federal protocolou uma representação contra ele no dia 1º de julho.

Em retaliação às denúncias feitas pelos médicos e profissionais da saúde de Cuiabá, alguns estão sendo removidos de seus cargos. "Simplesmente uma barbárie, primeiro contra o próprio profissional, segundo contra a população que conta conosco para seu atendimento durante a pandemia" analisa Diogo.

Ainda segundo Diogo Leite Sampaio, em nota publicada (leia ao final), após seus ultrajantes comentários contra médicos à TV Centro América, afiliada da Globo, Possas diz: "Quando eu falo dos profissionais que se acovardaram, em momento algum me refiro a estes que estão lutando para salvar vidas. Também não me refiro aos que estão afastados por serem do grupo de risco, seja por idade ou por comorbidade. Me refiro aos que entraram com pedido de afastamento usando atestados sem terem motivos reais para isso."

CRM repudia ataques de Possas

Em resposta ao gestor da Saúde de Cuiabá, a presidente do CRM-MT Dra. Hildenete Monteiro Fortes gravou um vídeo para responder os ataques do secretário de Saúde de Cuiabá: “É importante que o secretário saiba que os médicos não são covardes, os que estão afastados é porque se contaminaram durante o atendimento dos pacientes”.

Desculpas

Diante da repercussão e da reação da classe médica, o secretário Luiz Possas pediu desculpas na manhã de quinta-feira, por meio de nota publicada no site da Prefeitura.

"Quando eu falo dos profissionais que se acovardaram, em momento algum me refiro a estes que estão lutando para salvar vidas. Também não me refiro aos que estão afastados por serem do grupo de risco, seja por idade ou por comorbidade. Me refiro aos que entraram com pedido de afastamento usando atestados sem terem motivos reais para isso. Tivemos pedidos de afastamento de mais de 1500 profissionais da saúde desde que a pandemia começou e cada pedido destes foi periciado. Muitos destes pedidos foram indeferidos pelo médico que fez a perícia, pois ele constatou que não havia motivos para estes profissionais não trabalharem. São esses profissionais que eu disse que se acovardaram, pois ao invés de se juntarem às equipes que estão combatendo a pandemia, decidiram se esconder atrás de um atestado fajuto.
Peço desculpas aos profissionais da saúde que estão na linha de frente do combate à pandemia e que se sentiram ofendidos pela colocação que eu fiz. Tenham certeza de que a minha fala não foi direcionada a vocês. Nós gestores e profissionais da saúde não somos o inimigo”.

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO