Quinta-Feira, 15 de Novembro de 2018

Mato Grosso

Segunda-Feira, 29 de Outubro de 2018, 18h:33

OPERAÇÃO PROTEGER

Cipem manifesta apoio à Operação Proteger

A operação Proteger fez a maior apreensão de madeira ilegal dos últimos 10 anos em Colniza

Divulgação-Sema/MT

O Centro das Indústrias Produtoras e Exportadoras de Madeira do Estado de Mato Grosso Cipem) manifesta seu apoio à Operação Proteger, realizada na última semana por agentes da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT), Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea), Força Tática e Batalhão da Polícia Militar de Proteção Ambiental. A fiscalização teve por objetivo combater o desmatamento ilegal na região noroeste de Mato Grosso, mais especificamente no distrito de Três Fronteiras (Guatá), município de Colniza, e que resultou na apreensão de madeira ilegal, embargo de empresas e aplicação de multas.

O Cipem e os oito sindicatos que o compõe reiteram o compromisso de zelar pela legalidade do setor de base florestal do estado, pautado no desenvolvimento do Manejo Florestal Sustentável, em total observância para com a legislação ambiental, fiscal e trabalhista.

Desta forma, considera positiva a atuação dos agentes do Estado em medidas de comando e controle que visem resguardar os bons empresários, impedindo a atividade daqueles que trabalham na ilegalidade e que tanto prejudicam o setor, seja pela concorrência desleal dos produtos no mercado consumidor, seja pela desvalorização da imagem do setor florestal perante a sociedade.

Operação Proteger

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) apreendeu na última quinta-feira (25), em uma madeireira no distrito de Três Fronteiras (Guatá), em Colniza, 2.880 metros cúbicos de madeira ilegal, o equivalente a 140 caminhões carregados. Esta é a maior apreensão dos últimos dez anos.

Duas madeireiras foram embargadas por atuarem em desconformidade com a licença ou contrariando normas ambientais. Foram aplicados mais de R$ 1,3 milhão em multas para os três empreendimentos. Para realizar o trabalho, o serviço de inteligência da Sema identificou a movimentação suspeita de créditos de madeira e procedeu na incursão em campo para averiguar as irregularidades.

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO