Terça-Feira, 22 de Agosto de 2017

Por 12 votos a 2, Conselho de Ética arquiva cassação de senadoras | Caldeirão Político

Legislativo

Terça-Feira, 08 de Agosto de 2017, 16h:26

DERROTA DE MEDEIROS

Por 12 votos a 2, Conselho de Ética arquiva cassação de senadoras

Redação

Reprodução

Conselho de Ética do Senado, colegiado desistiu de cassar as parlamentares “marmiteiras”

O senador Lindbergh Farias, líder do PT no Senado, comandou o pelotão que absolveu no Conselho de Ética as seis senadoras que comeram marmita no plenário da Casa.

Por 12 votos favoráveis à reconsideração a 2 contrários, e uma abstenção, o colegiado desistiu de cassar as parlamentares “marmiteiras”.

A representação no Conselho de Ética atingia as senadoras Angela Portela (PDT-RR), Fátima Bezerra (PT-RN), Lídice da Mata (PSB-BA), Gleisi Hoffmann (PT-PR), Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) e Regina Sousa (PT-PI).

No entanto, o recuo do Conselho de Ético nada tem a ver com benevolência. Pelo contrário. A maioria dos membros do colegiado votou favorável ao relatório do senador Humberto Costa (PT-PE), pela reconsideração da representação, porque recentemente o mesmo Conselho de Ética livrou o senador Aécio Neves (PSDB-MG) de representação por corrupção e recebimento de propina da JBS.

No dia 11 de julho, as mulheres senadoras tomaram a mesa executiva do Senado visando conter a violência contra os trabalhadores brasileiros.

Obs: O senador José Medeiros (PSD-MT) protocolou no Conselho de Ética e Decoro Parlamentar um pedido de denúncia contra as senadoras que ocuparam a Mesa do Plenário para tentar impedir a votação da reforma trabalhista (PLC 38/2017). Medeiros conseguiu o apoio de outros 13 colegas, que também assinaram a representação: Ana Amélia (PP-RS), Cidinho Santos (PR-MT), Gladson Cameli (PP-AC), Eduardo Lopes (PRB-RJ), Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN), Antonio Anastasia (PSDB-MG), Elmano Ferrer (PMDB-PI), Wilder Morais (PP-GO), Cristovam Buarque (PPS-DF), Ciro Nogueira (PP-PI), Romario (Pode-RJ), Ataídes Oliveira (PSDB-TO) e Ronaldo Caiado (DEM-GO).

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO