Terça-Feira, 17 de Outubro de 2017

Senador Medeiros pode ter registro cassado e perder o mandato | Caldeirão Político
Nacional
Quarta-Feira, 11 de Outubro de 2017, 12h:19

FRAUDE EM ATA

Senador Medeiros pode ter registro cassado e perder o mandato

Cícero Henrique

Agência Senado

O senador José Medeiros, agora no Podemos, pode ter o mandato cassado. O motivo é a possível fraude na ata de registro de candidatura de Pedro Taques (PSDB) ao Senado em 2010. O juiz-membro do TRE-MT, Ulisses Rabaneda determinou no dia 30 de setembro a perícia da ata pela Polícia Federal.

A ata original trazia o então candidato Pedro Taques como cabeça de chapa, seguido pelo atual deputado estadual, Zeca Viana (PDT), como 1º suplente, e o empresário de Sinop (501 km de Cuiabá), Paulo Fiúza, como 2º suplente. Em agosto de 2010, Zeca Viana desistiu de figurar como 1º suplente na chapa de Taques ao Senado para concorrer a uma vaga na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (AL-MT). Com a desistência, Paulo Fiúza teria passado para a 1ª suplência e o então policial rodoviário federal, José Medeiros, ficaria com a 2ª suplência. Mas há suspeita de fraude na ata, que resultou no registro de José Medeiros como primeiro suplente. Quando Pedro Taques foi eleito governador de Mato Grosso em 2014, Medeiros ficou assumiu o mandato.

Segundo a denúncia que originou a ação, “a falsificação dos documentos ocorreu da seguinte forma: foi elaborada uma ata com a deliberação das pessoas acima mencionadas, posteriormente foi alterado o documento, sem o conhecimento de todos, aproveitando-se as assinaturas dadas na ata anterior. Tanto é que, no documento falsificado consta nas últimas duas folhas 23 assinaturas, conquanto nas duas primeiras há apenas 13 rubricas. Além disso, as rubricas existentes nas duas folhas são divergentes, inclusive, a rubrica em uma folha que não consta na outra”.

A ação que tramita no TRE-MT chegou a ser extinta. posteriormente uma decisão do TSE mandou reabrir o caso em 2016. (Com informações do Folhamax)

Além de Fiúza, Carlos Abicalil (PT), que ficou em 3º lugar no pleito, também questiona o registro de candidatura da coligação “Mato Grosso Melhor Para Você” na Justiça Eleitoral. Se comprovar a fraude, o petista pode assumir e concluir o mandato que se encerra em fevereiro de 2019.

 

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO