Quinta-Feira, 09 de Julho de 2020

Nacional
Segunda-Feira, 13 de Janeiro de 2020, 09h:34

SENADO FEDERAL

Senador Alvaro Dias diz que governo Bolsonaro “faz opção pelo espetáculo”

João Frey, Gazeta do Povo

Reprodução

Senador Alvaro Dias

O senador Alvaro Dias (Podemos), que retornou ao mandato após uma dura derrota eleitoral, conseguiu retomar seu capital político e em 2019 foi um dos principais articuladores do Congresso Nacional. Com foco no combate à corrupção, o senador paranaense tem capitaneado movimentos pela renovação das práticas do Senado. Em entrevista exclusiva à Gazeta do Povo ele comenta os principais projetos do Legislativo e tece críticas ao governo de Jair Bolsonaro. 

Seu mandato parece ainda estar muito ligado às questões que surgiram das manifestações de rua em 2013. Para o senhor, esses são os temas principais da representação no Senado?

Meu mandato continua sendo o combate à corrupção. Isso tem sido a prioridade já que é na agenda da sociedade a prioridade número um. Durante a campanha passada a maioria dos candidatos também elegeu essa prioridade para a busca do voto, muitos dos eleitos se esqueceram, mas certamente a população não se esquece e um dia chegará a cobrança.

Nossa atuação priorizou o apoio intransigente à operação Lava Jato e especialmente aos seus principais agentes, que são os principais responsáveis pelo seu êxito […]

Tivemos a Lei de Abuso de Autoridade que faz parte desse grupo que com essa legislação quer intimidar aqueles que estão na Polícia Federal, no Ministério Público e na Justiça.

Nessa mesma linha, o fim do foro privilegiado e a possibilidade de prisão em segunda instância seguem sendo temas fundamentais.

Depois da derrota eleitora em 2018 o senhor conseguiu, como líder do Podemos, capitanear uma nova força política dentro do Senado. Como foi esse processo?

Acho que isso pode ficar como uma marca histórica no Senado […] No Senado nós obstruímos a sessão que votava apressadamente o projeto dos partidos, depois conseguimos mudar totalmente o projeto. Então realmente esse movimento que surgiu com o crescimento do Podemos e a articulação do “Muda Senado”, da qual participam também os outros senadores do Paraná, é uma tentativa de passar uma nova imagem para a população, de que existem, sim, senadores dispostos a promover mudanças pelo país.

Com esse movimento já é possível que o Podemos dispute espaços formais dentro do Senado. O senhor tem pretensões de disputar a presidência da Casa?

[…] Temos uma pauta, uma agenda, prioridades que nos unem e evitamos falar em pretensões pessoais para evitar desagregação. Quando chegar o momento adequado vamos discutir quem deve ser o candidato adequado de renovação dos costumes do Senado, mas ainda não é a hora.

Qual a tua análise do primeiro ano do governo do presidente Jair Bolsonaro?

[…] o governo foi muito parado em questões importantes, não demonstrou capacidade criativa, inovadora para propor mudanças. Por exemplo, terminamos o ano e o governo não tem proposta de reforma tributária. Insistiu muito na criação de um imposto – antes era a CPMF e agora é um imposto digital – mas certamente isso não tem acolhida na população, que já paga imposto demais e convive com esse manicômio tributário.

Das reformas importantes, só a da Previdência aconteceu, mas ela foi deixada praticamente pronta pelo governo Michel Temer (MDB).

O governo patina e faz opção pelo espetáculo, o que certamente desagrada as pessoas mais bem formadas do país. Esse espetáculo grotesco, com palavreado chulo e agressões fortuitas, isso é o que move a alma desse governo – algo que não contribui para promover mudanças essenciais na direção do futuro que a população almeja.

Entrevista disponível em: https://www.gazetadopovo.com.br/parana/alvaro-dias-entrevista-balanco-2019/

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!