Sábado, 15 de Dezembro de 2018

Nacional
Segunda-Feira, 01 de Outubro de 2018, 14h:05

PRISÃO PERPÉTUA

Propostas ousadas impulsionam Demóstenes na campanha eleitoral

Goiás 24 horas

Reprodução

De­móstenes Torres

O procurador de Justiça e candidato a deputado federal De­móstenes Torres (PTB) está se destaca­do na campanha eleitoral por apresentar propostas inovadoras e mu­danças na legislação do país.

Jurista respeitado e com fama de senador mais produtivo da história do Brasil, Demóstenes con­ta com mais de 180 leis com sua par­ticipação. Boa parte das mais signi­ficativas leis do Brasil nos últimos anos passaram pelas suas mãos, a exemplo da Lei da Ficha Limpa.

“Passei os últimos anos me preparando, estudando a situação do país. Agora estou apre­sentando ao eleitor o resultado des­se estudo. São propostas que abor­dam diferentes áreas, que têm em comum um impacto importante na vida do cidadão”, diz Demóstenes.

Uma das propostas de Demóstenes que ganha­ram grande repercussão nas redes sociais e nos grupos de WhatsApp é a instituição da prisão perpétua no Brasil. A área da segurança pública é uma das espe­cialidades de Demóstenes, que faz parte do Ministério Público.

“É uma medida dura, mas necessária devido à atual situação da violência no país”, explica. A propos­ta abrange líderes de facções crimi­nosas, pedófilos, estupradores e ho­micidas reincidentes.

O objetivo é corrigir brechas no sistema que permitem que crimino­sos perigosos ganhem a liberdade após cumprir poucos anos de pena. Demóstenes cita como exemplo um caso de grande repercussão interna­cional. “Tiago Henrique, o serial killer de Goiânia, matou 59 pessoas e pegou 700 anos de pena, mas será solto da­qui a 25 anos. Ou seja, menos de seis meses para cada vida que ele tirou”.

Outra proposta é a criação de presídios em áreas rurais do es­tado. O objetivo é desativar a pe­nitenciária Coronel Odenir Gui­marães, o antigo Cepaigo. “Os traficantes comandam o crime or­ganizado de dentro das peniten­ciárias do país e a violência se pro­lifera nas suas proximidades. É a hora de retirar o Cepaigo da região metropolitana e criar várias pri­sões distantes das cidades e lon­ge das redes de celular”, propõe.

As mudanças no sistema carce­rário não param por aí. Demóstenes propõe que os presos de todo o país trabalhem para se manter dentro da cadeia. “Um país com tantos proble­mas como o Brasil não pode arcar com um bolsa-prisão. O crimino­so tem que trabalhar para se man­ter e para indenizar a vítima.”

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO