Quinta-Feira, 16 de Agosto de 2018

Nacional
Sexta-Feira, 04 de Maio de 2018, 07h:38

CÂMARA DOS DEPUTADOS

Portadores de esclerose lateral amiotrófica e glaucoma poderão ter benefícios tributários e civis

Redação

Divulgação

A Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público aprovou o Projeto de Lei 8046/17, do deputado Ricardo Izar (PP-SP), que garante às pessoas com doença crônico-degenerativa vários benefícios tributários e civis.

O texto altera seis leis para garantir benefícios a quem tem doenças como esclerose lateral amiotrófica (ELA) e glaucoma.

O texto permite:
- saque do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS, Lei 8.036/90);
- independência de carência para benefício previdenciário (Lei 8.213/91);
- passe livre interestadual (Lei 8.899/94); e
- isenção nos impostos de renda (IRPF, Lei 7.713/88), sobre Produtos Industrializados (IPI, Lei 8.989/95) e sobre Operação Financeira (IOF, Lei 8.383/91).

Segundo o relator, deputado Cabo Sabino (Avante-CE), resgatar o direito dessas pessoas “que estão com as vidas sentenciadas é mais do que justo”.

Para o deputado Bebeto (PSB-BA), seria interessante ter um detalhamento do que é doença crônico-degenerativa para evitar saques do FGTS sem critérios. “Minha preocupação é deixar tão ampla que possa haver questionamento ou veto”, afirmou.

O deputado Vicentinho (PT-SP) afirmou que a Comissão de Seguridade Social e Família precisa detalhar quais doenças devam ser enquadradas como crônico-degenerativa.

Sabino incluiu no texto a obrigatoriedade de uma junta médica do local de trabalho comprovar a incapacidade laboral do trabalhador para a concessão dos benefícios.

Tramitação
A proposta tramita em caráter conclusivo e ainda será analisada pelas comissões de Seguridade Social e Família; de Finanças e Tributação (inclusive quanto ao mérito); e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Ementa
Altera a Lei nº 8.036, de 11 de maio de 1990 (que dispõe sobre o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço, e dá outras providências), para permitir a movimentação da conta vinculada do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) do trabalhador acometido de doença crônica degenerativa; a Lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991 (que dispõe sobre os Planos de Benefícios da Previdência Social e dá outras providências), para incluir as doenças crônicas degenerativas entre as que dão direito a inexigibilidade de prazos de carência para a concessão do auxílio-doença e da aposentadoria por invalidez; a Lei nº 8.899, de 29 de junho de 1994 (que concede passe livre às pessoas portadoras de deficiência no sistema de transporte coletivo interestadual), para estender esse benefício aos portadores de doenças crônico degenerativas; a Lei nº 7.713, de 22 de dezembro de 1988 (que altera a legislação do imposto de renda e dá outras providências), para estender aos portadores de doenças crônico degenerativas o benefício da isenção do imposto de renda sobre seus proventos de aposentadoria ou reforma; a Lei nº 8.989, de 24 de fevereiro de 1995 (que dispõe sobre a Isenção do Imposto sobre Produtos Industrializados - IPI, na aquisição de automóveis para utilização no transporte autônomo de passageiros, bem como por pessoas portadoras de deficiência física, e dá outras providências) para incluir entre os isentos as pessoas portadoras de doenças crônico degenerativas; a Lei no 8.383, de 30 de dezembro de 1991 (que institui a Unidade Fiscal de Referência, altera a legislação do imposto de renda e dá outras providências) para estender a isenção do Imposto sobre operações de crédito, câmbio e seguro ou relativas a títulos ou valores imobiliários- IOF à pessoas com doenças crônico degenerativas;

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO