Domingo, 20 de Outubro de 2019

Nacional
Terça-Feira, 08 de Outubro de 2019, 07h:03

“MY LIFE IN YOUR HANDS!”

“Minha vida em suas mãos”

Redação

Reprodução

Aécio Neves e Rodrigo Janot

“Minha vida em suas mãos”. Com esta frase, escrita em Inglês, o então senador e presidente nacional do PSDB, Aécio Neves, encerrou uma carta ao então procurador geral da República, Rodrigo Janot, apelando para que não fosse incluído na “Lista de Janot”, dos políticos com foro privilegiado, alvos da Lava Jato, e que seria entregue ao STF.

Em seu livro “Nada menos que tudo”, Janot dedica um capítulo ao tucano, conta bastidores das quatro vezes que ele foi à PGR pedir para que não fosse jogado à vala comum até porque – argumentava – seria eleito presidente da República nas eleições de 2018.

-- Algumas vezes, aparentemente emocionado com as próprias palavras, o senador chorava, relata Janot, que deu um basta quando “sentiu” que “aquelas sessões de terapia intempestiva estavam sobrecarregando minha agenda”.

Aécio tinha sido denunciado pelo doleiro Alberto Yusseff, mas as duas pessoas que poderiam comprovar que recebia propina do empresário Airton Dairé, dono da Bauruens, haviam morrido – o então deputado José Janene e o suposto pagador da propina, Airton Dairé.

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!