Terça-Feira, 13 de Novembro de 2018

Nacional
Sábado, 03 de Fevereiro de 2018, 08h:24

SENADO FEDERAL

Gleisi critica Moro, mas não dispensa as mordomias do Senado Federal

Lucio Vaz

Reprodução

Senadora petista Gleisi Hoffmann

A senadora Gleisi Hoffmann, presidente nacional do PT, sentiu-se no direito de criticar o pagamento de auxílio-moradia para o juiz da Lava Jato Sergio Moro, mas ela própria não dispensa as mordomias oferecidas pelo Senado Federal. O benefício pago ao magistrado foi revelado pelo jornal Folha de S. Paulo nesta sexta-feira (2).

Como parlamentar, Gleisi tem direito a uma série de benefícios, como verba de gabinete, apartamento funcional, passagens aéreas, mais de quatro dezenas de servidores e até dinheiro para mandar cartas (!!!) em plena era da internet.

Como parlamentar, Gleisi tem direito a uma série de benefícios, como verba de gabinete, apartamento funcional, passagens aéreas, mais de quatro dezenas de servidores e até dinheiro para mandar cartas (!!!) em plena era da internet.

A petista ocupa um apartamento funcional de 230 metros quadrados em área nobre de Brasília. E mesmo que não quisesse ocupar o imóvel estatal, teria direito a receber auxílio-moradia semelhante ao de Moro.

Além disso, Gleisi gastou R$ 157 mil com passagens aéreas dos R$ 375 mil que recebeu da cota para exercício da atividade parlamentar (o nome pomposo da verba de gabinete) em 2017. O maior gasto, de R$ 34 mil, ocorreu em maio, quando ela disputava a presidência do Partido dos Trabalhadores e viajou em campanha por dez capitais, como Vitória, João Pessoa, Fortaleza, Porto Alegre, Recife, Salvador, Teresina e Cuiabá.

Em algumas dessas cidades, participou também de manifestações de apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que respondia a processos na Justiça. Gleisi ficou entre os oito senadores que mais gastaram com passagens de avião. É bom lembrar que o Senado Federal tem 81 senadores.

A petista também gastou R$ 56 mil com Correios, para enviar material impresso a seus eleitores com dinheiro do contribuinte. No seu gabinete, ela conta ainda com 42 servidores, sendo 30 no escritório de apoio no Paraná.

Não se discute aqui se a senadora tem ou não razão em criticar o juiz Sergio Moro, que recebe 4,3  mil mensais de auxílio-moradia mesmo tendo imóvel próprio em Curitiba. As benesses recebidas pelos magistrados brasileiros, que engordam seus rendimentos às custas de indenizações que quase sempre extrapolam o teto constitucional de R$ 33,7 mil (o salário de um ministro do STF).

Mas o auxílio-moradia pago ao juiz da Lava Jato e a todos os outros magistrados brasileiros é garantido por lei, tanto quanto as regalias das quais Gleisi e os demais senadores usufruem. O que não se pode admitir é que a presidente do PT se aproveite da situação para atacar Moro. Isso também é reprovável.

Outro lado

A assessoria de Gleisi Hoffmann argumentou que cada senador paranaense possui uma verba de transporte aéreo de R$ 17,5 mil mensais. “O mandato da senadora utilizou-a dentro das resoluções internas do Senado Federal. É importante lembrar que, no primeiro semestre de 2017, a senadora ocupou o cargo de líder do PT no Senado, o que fez com ela participasse de eventos em toem todo o país”.

 
 

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO