Domingo, 20 de Outubro de 2019

Nacional
Segunda-Feira, 07 de Outubro de 2019, 07h:28

SENADO FEDERAL

"Cavaleiros” da Lava Toga: quem são os senadores que tentam encarnar a nova política

Olavo Soares

Divulgação

Membros do Muda Senado indo do Congresso

"Uma manifestação que pediu a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o Poder Judiciário levou à Praça dos Três Poderes, há dez dias, apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PSL), críticos da atuação do Supremo Tribunal Federal (STF) e até mesmo defensores de uma intervenção militar. Mas um dos principais resultados do protesto foi se tornar uma demonstração de força do grupo "Muda, Senado", um conjunto de parlamentares que tem incomodado as forças mais tradicionais da Casa."

"O bloco, formado por 21 senadores, tem se destacado a despeito de não possuir membros de três dos partidos de maior relevância no Senado – o MDB, dono da maior bancada; o DEM, do presidente Davi Alcolumbre (AP); e o PT, principal força de oposição a Bolsonaro. Ou talvez o destaque ocorra justamente por não reunir integrantes destas legendas. Distante dos nomes habituais, o "Muda, Senado" puxa para si o discurso da "nova política", em alta desde as eleições do ano passado."

"A instalação da CPI sobre o Judiciário, a "Lava Toga", é a principal bandeira do grupo. Outras causas do bloco são a derrubada do foro privilegiado, a redução dos custos do Legislativo, a abertura de processos de impeachment de ministros do STF e a defesa da operação Lava Jato. Mas com o fortalecimento do "Muda, Senado", já se especula que o grupo pode vislumbrar a presidência da Casa, nas eleições internas de 2021. "A eleição está muito longe. Mas certamente essa nossa forma de posicionamento poderá influenciar a disputa", declarou Alessandro Vieira (Cidadania-SE), um dos líderes do grupo."

https://www.gazetadopovo.com.br/republica/muda-senado-cpi-lava-toga-onde-quer-chegar/

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!