Quarta-Feira, 23 de Agosto de 2017

Câmara retoma trabalho e deve fazer hoje leitura do parecer do caso Temer | Caldeirão Político
Nacional
Terça-Feira, 01 de Agosto de 2017, 09h:58

CASO TEMER

Câmara retoma trabalho e deve fazer hoje leitura do parecer do caso Temer

Jô Navarro

Agência Brasil

Na volta do recesso parlamentar, nesta terça-feira (1º), o Plenário da Câmara dos Deputados pode analisar três medidas provisórias que trancam a pauta, entre as quais a MP 772/17, que aumenta de R$ 15 mil para R$ 500 mil o valor máximo de multa a ser aplicada a frigoríficos que infringirem a legislação sanitária.

Ainda na sessão desta tarde deve ser lido o parecer da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania que recomenda o indeferimento da solicitação do Supremo Tribunal Federal (STF) para processar o presidente da República, Michel Temer, por crime de corrupção passiva.

A votação do parecer está marcada para esta quarta-feira (2), às 9 horas.

Acusação

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, acusa Temer de corrupção passiva com base em gravações e na delação dos donos do grupo J&F, que controla o frigorífico JBS. O empresário Joesley Batista gravou uma conversa com o presidente, em março, no Palácio do Jaburu, que gerou a denúncia. O presidente nega ter cometido ilegalidades e sua defesa deve repetir os argumentos apresentados à CCJ de que não há provas e que a denúncia se baseia em ilações dos procuradores.

Articulação

O presidente Temer tem articulado pessoalmente para garantir apoio dos deputados. Sem nenhum escrúpulo, Temer negocia liberação de emendas, cargos e benesses em troca de votos. Doze ministros serão exonerados para votarem pelo arwuivamento da denúncia feita por Rodrigo Janot, que acusa Temer de corrupção passiva no caso JBS.

Nas articulações comandadas pelo presidente em troca de votos, não se discute o mérito da denúncia, mas o que cada deputado vai ganhar em troca. 

A oposição aposta na falta de quórum para evitar que a votação seja realizada na quarta-feira, apostando no desgaste do presidente.

Hoje o jornal O Estado de São Paulo noticia que o governo não conseguiu reduzir a dívida pública e "a revisão da meta fiscal de 2017 terá como limite o rombo das contas do governo no ano passado, que alcançou R$ 159,5 bilhões ou 2,54% do PIB". Temer evita falar sobre o rombo e ordenou aos ministros que não falem sobre o assunto até depois da votação do parecer da CCJ no plenário da Câmara.

 (Com informações da Agência Câmara)

 

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO