Terça-Feira, 21 de Maio de 2019

Mato Grosso
Quarta-Feira, 20 de Fevereiro de 2019, 19h:45

AO VIVO - ACOMPANHE

Voto de Fávero coloca seis na disputa por vaga de conselheiro;Maluf continua na disputa

Acompanhe ao vivo a sabatina dos seis candidatos no Colégio de Líderes

Jô Navarro

Fablício Rodrigues/ALMT

Deputados estaduais Guilherme Maluf e Wilson Santos

Na reunião extraordinária realizada pela CCJ, nesta noite na Assembleia Legislativa de Mato Grosso, o deputado Silvio Fávero apresentou voto divergente.

“Em virtude da divergência, concluo o voto para propor o encaminhamento dos nomes que cumpriram o paragrafo 2, do art 2 do rito da Mesa Diretora, sendo eles: “Dilmar Dal Bosco, Eduardo Calmon, Guilherme Maluf, Max Russi, Sebastiao Rezende e Luiz Mario Barros”.

O voto de Fávero foi aprovado pela maioria e voltaram à disputa pela vaga de conselheiro de contas do TCE: Dilmar Dal'Bosco, Sebastião Rezende, Max Russi, Guilherme Maluf, o juiz Eduardo Calmon e o contador Luiz Mário Barros. Wilson Santos e Paulo Araújo votaram contra o relatório divergente.

Na reunião anterior houve troca de ofensas, muita discussão e uma manobra de Wilson Santos para privilegiar o deputado Guilherme Maluf, réu na operação Rêmora, como foi denunciado pela deputada Janaina Riva.

Leia também: Janaina denuncia manobra na CCJ para beneficiar Maluf; Relatório de Wilson Santos é rejeitado

A partir de agora, a Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR) terá 48 horas para analisar se os documentos dos indicados preenchem os requisitos exigidos pelo regimento interno e pela Constituição Federal. A vaga – que estava sub judice desde 2014 – pode ser definida ainda esta semana.

Os postulantes à vaga serão sabatinados pelo Colégio de Líderes e em seguida o plenário decidirá, em votação secreta, qual deles será o novo conselheiro de contas. 

Assista ao vivo a reunião do Colégio de Líderes:

(20:22H) - O deputado Sebastião Rezende acaba de retirar sua candidatura à vaga de conselheiro de contas. Ele disse que ficou chocado e constrangido com o ocorrido mais cedo na CCJ. 'Vejo a possibilidade clara de judicialização desse processo, por isso retiro meu nome".

 Fala agora o contador Luiz Mário Barros. Ele discorre sobre sua experiência na defesa de prefeituras junto ao TCE.

Guilherme Maluf não menciona sua condição de réu em processo criminal e relata os cargos que ocupou.

O juiz Eduardo Calmon agradece a indicação e discorre sobre sua carreira na magistratura.Ele é diretor do Fórum de Várzea Grande.

O deputado Max Russi discorre sobre experiência como político e menciona que 11 colegas assinaram sua indicação.

O deputado Dilmar Dal'Bosco fala sobre sua trajetória profissional como empresário e deputado estadual. Ele também retira sua candidatura. “A reflexão que eu fiz é que a própria Assembleia não reconhece a fé publica de um membro. Quando pedem uma assinatura em plenário, é verdadeira. Fico triste que a assinatura do deputado serve para qualquer coisa, mas não serve para a comissão”, disse o deputado, sem esconder sua mágoa com Wilson Santos.

(21:27) - Os deputados passa a  votar as indicações. A deputada Janaina mostra seu voto em Max Russi.

RESULTADO DA VOTAÇÃO

Max Russi 10 votos
Guilherme Maluf teve 11 votos
Eduardo Calmon 2 votos
Um voto em branco

Risco de judicialização

A votação secreta dá margem a muitas articulações nos bastidores. Uma judicialização da disputa não está de todo descartada, dependendo do vencedor na votação secreta.

O TCE pode recusar o nome indiccado se o postulante não preeencher os crit´rios definidos pela Corte de Contas, de reputação ilibada, não ser réu em processo criminal e ter no mínimo 10 anos de experiência na gestão pública.

 

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO