Segunda-Feira, 03 de Agosto de 2020

Mato Grosso
Quinta-Feira, 16 de Julho de 2020, 12h:20

CÂMARA DE CUIABÁ

Vereadores da base rejeitam provas da CPI do Paletó e mantém Emanuel Pinheiro no cargo

Cícero Henrique

Reprodução

A Câmara Municipal de Cuiabá arquivou nesta quinta-feira (16) o relatório da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), instaurada para investigar o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB). O prefeito foi filmado recebendoi maços de dinheiro quando era deputado. Apesar de todas as provas e depoimentos que reafirmaram que Emanuel Pinheiro recebeu propina, a base do prefeito mais uma vez o blindou o prefeito.

O presidente da Câmara Municipal Misael Galvão enviou e-mail para os vereadores às 05h30 desta quinta-feira comunicando que o relatório da CPI do Paletó seria votada hoje. Segundo vereadores da oposição, não foi cumprido o prazo de 24 horas e o parecer da Procuradoria da Câmara não pode substituir o parecer da Comissão de Constituição, Justiça e Redação.

O vereador Marcelo Bussiki, que presidiu a CPI do Paletó,  disse se tratar de "um claro desrespeito ao regimento interno da Câmara de Cuiabá com o único objetivo de proteger Emanuel Pinheiro!! Uma vergonha os colegas se prestarem a esse papelão!!"

"Numa manobra articulada pelo presidente da câmara junto a base, fomos pegos de surpresa pela manhã ao saber que relatório da #CPIDOPALETÓ que pedia o #afastamento e a #cassação do prefeito seria votado na Sessão de hoje. Esta claramente foi uma tentativa de minimizar a participação da população Cuiabana, que não foi informada da votação", disse o vereador Diego Guimarães em suas redes sociais. "Esses são os vereadores que votaram contra a cassação do prefeito! Vale lembrar que estes mesmos vereadores foram responsáveis pela cassação #injusta e #arbitraria do Abílio que não havia cometido crime algum, porém #defenderam com unha e dentes o #prefeitodopaletó que claramente foi flagrado pegando dinheiro proveniente de propina", concluiu.

Reprodução

Delação de Silval Barbosa

Emanuel Pinheiro filmado recebendo maços de dinheiro

O vereador Felipe Wellaton (Cidadania) chamou de cúmplices aqueles que votarem a favor do prefeito. Em resposta, o vereador Adevair Cabral (PSDB) argumentou: “Temos que respeitar, mesmo que a pessoa é bandida merece respeito, cada um tem um lado”, disse o vereador Adevair Cabral (PSDB)

O vereador Abilio Junior (Podemos) salientou que a votação se trata de analisar a conduta moral do prefeito em administrar a Capital do Estado. “Não estamos aqui votando, ou não iremos votar, se é o dia de cassar o prefeito, que ele roubou enquanto deputado ou não. Nós estamos avaliando se o prefeito tem condições morais pra tá (sic) continuando frente à Prefeitura de Cuiabá”, salientou.

Para o vereador Diego Guimarães (Cidadania), este é mais um dia para a população analisar o posicionamento dos parlamentares. “Aqui a conversa, a discussão será bem simples. Quem é o joio, que é o trigo. Quem tá (sic) do lado do ‘paletó’, quem tá (sic) com o ‘paletó’ e quem tá (sic) do lado do povo. É simples. Quem tá (sic) do lado do povo, do lado da política que não aceita essa prática. Pronto”, frisou Diego.

No total, foram 13 votos pela rejeição do relatório, nove pela manutenção, e três ausências dos vereadores Ricardo Saad (PSDB), Marcos Veloso ( e Vinicyus Hungueney (SD).

Assista a votação do relatório:

Votaram contrário ao relatório os vereadores Adevair Cabral (PTB), Adilson Levante (PSB), Chico 2000 (PL), Aluisio Leite (PV), Dr. Xavier (PTC), Juca do Guaraná (MDB), Justino Malheiros (PV), Luis Claudio (PP), Marcrean Santos (PP), Mario Nadaf (PV), Orivaldo da Farmácia (PP), Renivaldo Nascimento (PSDB) e Toninho de Souza (PSDB).
Já os vereadores Abilio Brunini (Podemos), Clebinho (PSD)

Diego Guimarães (Cidadania), Dilemário Alencar (Podemos), Felipe Wellaton (Cidadania), Lilo Pinheiro (PDT), Marcelo Bussiki (DEM), Sargento Joelson (SD) e Wilson Kero Kero (Podemos) votaram a favor.

CPI do Paletó

"Houve [propina] no governo de Blairo, que eu era vice, e houve no meu governo. E no governo do Pedro foi homologado sem prestar conta", disse Silval, referindo-se à regulamentação do pagamento para os deputados, na forma de Verba Indenizatória de R$ 65 mil. "Vencia o mês eram todos eles cobrando", afirmou. Ele relata o pagamento de verba suplementar de R$ 15 milhões para a ALMT, "religiosamente", que era repartida entre os deputados, declarou o ex-governador Silval Barbosa em depoimento à CPI.

Assista o depoimento de Silval Barbosa em que ele confirma que o prefeito recebeu propina:

 Nas redes sociais os vereadores da oposição, que lutaram durante três anos para demonstrar na CPI do Paletó que o prefeito não tem idoneidade moral para continuar no cargo e tentou obstruir as investigações, já protestam. A imagem de capa que ilustra esta matéria foi publicada pelo vereador Felipe Wellaton em suas redes sociais.

A oposição argumenta que a resposta da sociedade à conduta de Emanuel Pinheiro virá nas urnas, em novembro.

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO