Sábado, 21 de Julho de 2018

Mato Grosso
Segunda-Feira, 02 de Julho de 2018, 14h:56

FRAUDE NO DETRAN

Preso há quase dois meses, Mauro Savi tem liberdade negada no STF

Jô Navarro

Reprodução

Deputado Mauro Savi

A ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou hoje (2-07) em caráter liminar Habeas Corpus que pedia a soltura do deputado estadual Mauro Savi (DEM). A íntegra da decisão ainda não foi publicada.

Esta é a quinta tentativa de Mauro Savi para afastar a prisão preventiva decretada na operação Bônus, deflagrada no dia 9 de maio. O HC foi impetrado pela ALMT, por meio do procurador-geral da Casa,

Em parecer sobre este HC a procuradora-geral da República Raquel Dodge declarou que é “alarmante grau de comprometimento de membros da Assembleia Legislativa do Mato Grosso em investigações e processos criminais”.

“Esta circunstância fica cristalina no próprio ajuizamento desta reclamação, tendo em vista que, além de ignorar a gravidade dos crimes praticados pelo deputado, a Assembleia age manifestamente na defesa da pessoa do parlamentar - e não das prerrogativas do cargo”, diz trecho do parecer da PGR.

Leia mais: MPE denuncia 7 deputados, irmãos Taques, ex-governador e empresários
http://www.caldeiraopolitico.com.br/ministerio-publico/mpe/mpe-denuncia-7-deputados-irmaos-taques-ex-governador-e-empresarios/47169

Quinta derrota

Mauro Savi já teve cinco recursos negados. Uma decisão liminar do desembargador do TJMT, José Zuquim (que decretou a prisão); duas decisões liminares da ministra Maria Thereza Moura, do STJ; e uma decisão de mérito proferida pelo Pleno do TJMT, que decidiu contra sua libertação por 21 votos a 2. Todos os integrantes da mesa diretora são investigados. http://www.caldeiraopolitico.com.br/legislativo/mato-grosso/todos-os-integrantes-da-mesa-diretora-da-almt-sao-investigados/45670

Operação Bereré e Operação Bônus

A operação Bereré, seguida pela operação Bônus, desarticulou organização criminosa que desviava recursos do Detran-MT e relaciona dezenas de beneficiários de repasses dos integrantes do esquema. A Orcrim tinha três núcleos e operou de 2009 a 2016.

A operação Bônus é resultado da análise dos documentos apreendidos na primeira fase da Bereré, dos depoimentos prestados no inquérito policial e colaborações premiadas.

Denunciados
Foram denunciados: o presidente do Parlamento Estadual, José Eduardo Botelho e os deputados Mauro Luiz Savi (preso), José Domingos Fraga Filho, Wilson Pereira dos Santos, José Joaquim de Souza Filho, Ondanir Bortolini e Romoaldo Aloisio Boraczynski Júnior.

Também figuram como réus o ex-governador Silval da Cunha Barbosa; o ex-deputado federal Pedro Henry; o ex-chefe da Casa Civil, Paulo Taques (preso); o ex-presidente do Detran, Teodoro Moreira Lopes; o ex-chefe de gabinete do Poder Executivo, Sílvio Cézar Correia de Araújo e Pedro Jorge Zamar Taques (preso).

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO