Sábado, 21 de Julho de 2018

Mato Grosso
Sábado, 30 de Junho de 2018, 06h:57

21 DEPUTADOS INVESTIGADOS

Para Dodge, é alarmante o grau de comprometimento de membros da Assembleia Legislativa do Mato Grosso

Raquel Dodge se posiciona contra a libertação de Mauro Savi e questiona isenção da ALMT para interceder em favor dele

Cícero Henrique

Reprodução/TV AL

Para a procuradora-geral da República Raquel é “alarmante grau de comprometimento de membros da Assembleia Legislativa do Mato Grosso em investigações e processos criminais”. Dos 24 deputados, 21 respondem ação penal nas operações Bereré, Bônus ou por outros crimes.

Para a PGR, a ALMT não tem independência para deliberar “com isenção de ânimo” sobre a prisão de Mauro Savi, que se encontra preso do Centro de Custódia da Capital desde o dia 9 de maio.

As afirmações constam no parecer da PGR sobre o pedido da Assembleia Legislativa para soltar o deputado estadual Mauro Savi (DEM).

“Esta circunstância fica cristalina no próprio ajuizamento desta reclamação, tendo em vista que, além de ignorar a gravidade dos crimes praticados pelo deputado, a Assembleia age manifestamente na defesa da pessoa do parlamentar - e não das prerrogativas do cargo”, diz trecho do parecer.

Segundo o Gaeco, Savi é líder da Orcrim que atuou no Detran-MT na gestão de Silval Barbosa e Pedro Taques.

Da Assembleia Legislativa, foram denunciados: o presidente do Parlamento Estadual, José Eduardo Botelho e os deputados Mauro Luiz Savi, José Domingos Fraga Filho, Wilson Pereira dos Santos, José Joaquim de Souza Filho, Ondanir Bortolini e Romoaldo Aloisio Boraczynski Júnior.

Também figuram como réus o ex-governador Silval da Cunha Barbosa; o ex-deputado federal Pedro Henry; o ex-chefe da Casa Civil, Paulo Taques; o ex-presidente do Detran, Teodoro Moreira Lopes; o ex-chefe de gabinete do Poder Executivo, Sílvio Cézar Correia de Araújo e Pedro Jorge Zamar Taques (irmão de Paulo Taques).

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO