Quarta-Feira, 22 de Maio de 2019

Mato Grosso
Segunda-Feira, 22 de Abril de 2019, 08h:18

CÂMARA MUNICIPAL DE CUIABÁ

Oposição promete um pedido de impeachment a cada 40 dias

Cícero Henrique

Reprodução

Onofre Júnior entrevistou na TBO, na noite de domingo (21), os vereadores do bloco de oposição ao prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro.

Marcelo Bussiki, Dilemário Alencar, Diego Guimarães, Felipe Wellaton e Abilio Junior reafirmaram unidade e garantiram que não recuarão da fiscalização contínua da prefeitura.

Deste grupo sairá um candidato que disputará a prefeitura em 2020. "Vou falar claro, eu ou vereador Diego vamos disputar a eleição para prefeito", disse Abilio Junior.

Abilio também afirmou que a cada 40 dias apresentará um pedido de impeachment do "prefeito corrupto Emanuel Pinheiro". O próximo trata da não realização de concurso público para contratação de profissionais de saúde pela ECSP (Empresa Cuiabana de Saúde Pública". Segundo o vereador, o prazo de 120 dias para realização de processo seletivo está terminando sem que a prefeitura tome qualquer providência.

O grupo de oposição é responsável pela CPI do paletó (que está judicializada), CPI da Saúde, que resultou na operação Sangria e a prisão do ex-secretário de Saúde Huark Douglas,  o ex-adjunto da Pasta Flávio Alexandre Taques da Silva, além de Fábio Liberali Weissheimer, Adriano Luiz Sousa, Kedna Iracema Fonteneli Servo, Luciano Correa Ribeiro, Fábio Alex Taques Figueiredo e Celita Natalina Liberali. Segundo o MPE, a Orcrim comandou esquema de fraudes em licitações beneficiando as empresas Proclin, Qualycare e Prox Participações por meio de contratos firmados com o Município de Cuiabá e o Estado.

Leia também:

Processo da Operação Sangria é enviado para a Justiça Federal

MPE vai acompanhar licitação do transporte coletivo em Cuiabá

Blindagem de Emanuel vai custar caro para a base

 

 

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO