Domingo, 25 de Agosto de 2019

Mato Grosso
Quarta-Feira, 23 de Janeiro de 2019, 19h:47

PACOTÃO DE MENDES

Oposição pede vista de projetos e tenta aprovar emendas para reduzir perdas

Fórum Sindical já articula greve geral em Mato Grosso após o final das votações

Jô Navarro

Reprodução/arquivo pessoal

O plenário da ALMT continua ocupado por sindicalistas

Reunidos em sessão legislativa ordinária na sala de reuniões da Presidência, os deputados estaduais aprovaramnesta quarta-feira (23) três mensagens do governador Mauro Mendes.

Foram aprovados os projetos de lei complementar 01/2019, que altera a Lei Complementar nº 560, de dezembro de 2014, que trata do regime próprio de previdência social do Estado (MT Prev); o PLC 02/2019, que estabelece normas de finanças públicas em Mato Grosso, voltadas à responsabilidade da gestão fiscal, e o PLC 03/2019, que dispõe sobre a organização administrativa do Executivo Estadual.

Pedido de vista
As cinco propostas do Executivo, aprovadas em primeira votação e que precisam do aval em segunda, sofreram pedido de vista durante a sessão ordinária desta quarta-feira. O presidente da Casa de Leis, deputado Eduardo Botelho, concedeu vista regimental de 24 horas e agora as matérias devem ser analisadas e votadas em sessão ordinária nesta quinta-feira (24). Todas podem receber emendas na CCJR antes de irem a votação.

A matéria que trata da mudança de regras para pagamento da RGA está com pedido de vista da deputada Janaina Riva. Oscar Bezerra pediu vista da matéria sobre a Lei de Responsabilidade Fiscal. Wilson Santos, por sua vez, pediu vista do projeto que propõe mudanças no MTPrev e o deputado Pedro Satélite pediu vista do projeto que trata da reforma administrativa.

Deputado propõe emenda para não extinguir estatais

O deputado estadual Dr. Leonardo encaminhou uma emenda ao projeto de Lei da reforma administrativa para retirar a autorização para extinção de 5 empresas estatais.

Segundo o deputado, as empresas MT Fomento, Central de Abastecimento do Estado de Mato Grosso (Ceasa/MT), Companhia Mato-grossense de Mineração (METAMAT), Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) e Empresa Mato-grossense de Tecnologia da Informação (MTI) prestam serviços à população e asseguram benefícios em regiões carentes ou remotas.

Caso seja aprovada, fica extinto o artigo 42 do projeto que autoriza a extinção dessas empresas.

Ocupação

O plenário da ALMT está ocupado por servidores públicos desde o final damanhã de ontem (22), em protesto contra o pacote de medidas do governador Mauro Mendes. Mesmo sem conseguir impedir a realização de sessões, eles pressionam os parlamentares e ogoverno para tentar reduzir as perdas para servidores e também para a população que utiliza os serviços das empresas públicas.

Oscarlino Alves, presidente do Sindicato dos Servidores Públicos da Saúde (Sisma-MT), falando em nome do Fórum Sindical, disse que os manifestantes vão permanecer com a ocupação da Assembleia Legislativa até que os projetos do governo sejam votados.

“Depois da votação dos projetos o encaminhamento do fórum sindical será por uma greve geral”

 

 

1 COMENTÁRIO:

Esse homem veio a ser bem pior do que Pedrinho Malvadeza,deixa estar Mauro que seu reinado não passará de 4 anos e nem será lembrado seu goiano safado que aqui veio fazer sua vida estudantil,profissional dando calote no Estado e na sua campanha só mentira para com os servidores desse Estado não votei em Graças a Deus essa culpa não carrego e não me representa caloteiro juntamente com sua corja.
enviado por: MARIA FLOR DOS SANTOS em 23/01/2019 às 21:18:34
0
 
0
responder

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO