Sábado, 26 de Maio de 2018

Mato Grosso
Quarta-Feira, 09 de Maio de 2018, 20h:27

SEM JEITINHO

Desembargador impede ALMT de votar soltura de Mauro Savi

Cícero Henrique

Marcos Lopes/ALMT

Os parlamentares chegaram a se movimentar acreditando que poderiam libertar Mauro Savi da prisão, como ocorreu no caso de Gilmar Fabris. No entanto o desembargador José Zuquim Nogueira acolheu entendimento do Ministério Público do Estado de Mato Grosso, por meio do Núcleo de Ações de Competência Originária (NACO/Criminal) e Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (GAECO), de que os deputados estaduais não possuem as mesmas prerrogativas de deputados federais e senadores, que só podem ser presos em flagrante por crime inafiançável e com aprovação de suas respectivas Casas Legislativas.

Na decisão que determinou a prisão do deputado estadual Mauro Savi, o desembargador José Zuquim Nogueira ressalta que a Assembleia Legislativa de Mato Grosso deverá observar a vedação de expedir resolução ou quaisquer atos que importem em revogação da prisão preventiva decretada. O Supremo Tribunal Federal (STF) também mantém o mesmo entendimento.

Mauro Savi foi preso na manhã de hoje (9) na operação Bônus, desdobramento da operação Bereré, que desmantelou esquema de propinas no Detran-MT.

Ao longo do dia os parlamentares começaram a tomar conhecimento das denúncias e ficou evidente que Mauro Savi permanecerá preso e não estão descartadas novas prisões.

A mesa diretora sequer divulgou nota sobre a operação Bônus, que por pouco não afastou do cargo o presidente da Casa, deputado Eduardo Botelho (PSD).

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO