Sábado, 24 de Agosto de 2019

Mato Grosso
Sexta-Feira, 08 de Fevereiro de 2019, 07h:41

CÂMARA FEDERAL

Deputados federais: primeira semana de trabalho mostra total apatia da bancada de MT

Cícero Henrique

Reprodução

Bancada de deputados federais por Mato Grosso

Se os eleitores mato-grossense apostaram, como, de resto, todo o Brasil, na renovação da representação política, a primeira semana de trabalho(?) na Câmara Federal foi de muita decepção e total apatia.

Parlamentares de outros estados, ao contrário de Mato Grosso, já começam a mostrar a cara, no debate de ideias e apresentação de projetos.
Os deputados federais, como Emanuelzinho(PTB), José Medeiros(Pode), Carlos Bezerra(MDB), Juarez Costa(MDB), Neri Geller(PP), Nelson Barburo(PSL) não mostraram serviço algum, projetando um ano de pouco trabalho e destaque de Mato Grosso em Brasília.

A excessão até agora é o deputado Dr. Leonardo(SD), que já aprsentou projeto sobre protocolou nesta terça-feira (05.02) na Câmara Federal uma proposição (PL 379/2019) que insere no rol dos crimes hediondos (Lei nº 8.072/1990) os crimes de associação criminosa, corrupção ativa e passiva, peculato, e os crimes contra licitações relativos a contratos, programas e ações nas áreas da saúde pública.

Chamado de PL em Defesa da Saúde, esse é o primeiro projeto do parlamentar que, na Assembleia Legislativa de Mato Grosso, presidiu a CPI da saúde, cujo trabalho revelou rombo de mais de R$ 200 milhões aos cofres públicos. A proposta, que também é a primeira protocolada por parlamentar da bancada mato-grossense, altera ainda a Lei das Licitações (Lei nº 8.666/1993), a Lei que trata das organizações criminosas (Lei nº 12.850/2013) e a Lei da Improbidade Administrativa (Lei nº 8.429/1992) para agravar a pena por ato ilícito que tenha causado prejuízo à saúde pública.

Veteranos reeleitos também decepcionam.

Mais uma vez, vale a máxima de que nova safra de deputados é sempre pior que anterior.

1 COMENTÁRIO:

A leitura crítica de um texto vazio e cheio de achismos me deixa claro somente uma coisa: ao contrário do que a publicação tentou mostrar, Dr. Leonardo talvez seja aquele que sim escolheu a velha prática de pagar a imprensa para sairem matérias positivas suas, coisa bem característica deste veículo. Coisa que os outros parlamentares devem ter escolhido o contrário.
enviado por: João Da Mata em 11/02/2019 às 16:31:13
0
 
0
responder

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO