Terça-Feira, 23 de Outubro de 2018

Mato Grosso
Terça-Feira, 18 de Setembro de 2018, 13h:40

ELEIÇÕES 2018

Deputado Nilson Leitão obteve as piores avaliações no ranking da ONG Agência Repórter Brasil

Redação

George Gianni

Deputado federal Nilson Leitão

Dados coletados pela organização não-governamental Agência Repórter Brasil, desenvolvedora da plataforma Ruralômetro, especialmente criada para medir o comportamento dos deputados federais eleitos em 2014 em relação à defesa e preservação do meio ambiente e da Amazônia, revelam que dos oito deputados amapaenses, somente três alcançaram avaliação positiva. Os demais, estão entre os parlamentares alinhados com a bancada ruralista. Um deles, Nilson Leitão (PSDB-MT), obteve a pior pontuação. Sua temperatura marcou no Ruralômetro 40,8°C, estando com a febre ruralista.

A plataforma apresenta uma nota, representada pela temperatura humana na escala de graus Celsius. Assim, segundo a Repórter Brasil, foi avaliada a atuação parlamentar em questões que causam impacto importante sobre a região, como projetos que tratam da redução de Unidades de Conservação ou de combate ao trabalho escravo. Os deputados com temperatura entre 36°C e 37,3°C estariam saudáveis. Aqueles com temperatura entre 37,3°C e 38°C estariam com uma febrícula. E os acima de 38,1°C estariam com febre. “Quando pior o impacto socioambiental dos projetos que o parlamentar votou ou propôs, mais alta é a sua temperatura. Podendo atingir níveis de febre”, diz a agência sobre o sistema de pontuação.

O Ruralômetro confrontou os votos dos parlamentares em projetos de leis e medidas provisórias que têm impactos sobre o meio ambiente, os povos indígenas e trabalhadores rurais. A bancada da Amazônia Legal é composta por 91 deputados dos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins. Na plataforma, 89 deles foram avaliados. Dois ficaram de fora porque participaram de apenas três ou menos sessões de votação.

De acordo com os dados do Ruralômetro, dos 89 deputados da Amazônia Legal, 64 estariam com a “febre ruralista”, ou seja, com temperatura acima dos 37,4ºC, de acordo com a fórmula desenvolvida pela Repórter Brasil para analisar a atuação dos parlamentares. O resultado mostra que, quando se trata de defender a floresta e os recursos hídricos e as condições de vida das populações tradicionais e trabalhadores da Amazônia, os deputados da região são piores do que a média nacional.

A Amazônia Legal cobre quase 60% do território brasileiro e abriga mais de 24 milhões de pessoas, segundo informações do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE). Possui uma grande diversidade sociocultural: mais de 60% da população indígena vive em aldeias, segundo o IBGE. Além de 45% da água subterrânea do país, a Amazônia Legal tem o maior potencial de jazidas de metais nobres do país, com destaque para os estados do Amazonas, Acre, Mato Grosso e Pará.

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO