Sexta-Feira, 10 de Julho de 2020

Legislativo

Sábado, 15 de Fevereiro de 2020, 10h:31

CADÊ O MP E O JUDICIÁRIO?

Base faz vista grossa para propina do paletó e suspeitas de assédio sexual, mas cassa vereador que denuncia improbidade

Cícero Henrique

Montagem

Uma enfermeira denunciou ter sido vítima de assédio sexual por parte do vereador Adevair Cabral. Ela procurou o vereador Abilio Junior para denunciar o caso. No Plenário, Adevair disse ser alvo de uma "denúncia política" e recebeu apoio dos vereadores da base do prefeito Emanuel Pinheiro, da qual faz parte. A investigação é sigilosa.

A denúncia foi publicada em primeira mão pelo telejornal MTT1, na TV Centro América, na sexta-feira (1º-11). Os 17 do prefeito não viram nisso nenhum indício para apurar quebra de decoro parlamentar.

Chico 2000
O vereador Chico 2000, aliado desde sempre do prefeito Emanuel Pinheiro, foi denunciado em 2016 por estupro de vulnerável. A denunciante foi a enteada dele, de apenas 11 anos, que disse ter siso abusada durante uma festa. Ele chegou a ser preso e ficou detido de 6/12/2016 a 15/12/2016. Foi solto no dia da diplomação de vereadores. Foi decretado o trâmite sigiloso do processo.

Em fevereiro de 2017, a Câmara de Cuiabá decidiu arquivar os processos de cassação do vereador Chico 2000. “Como não houve uma condenação decidimos arquivar o processo em desfavor do vereador Chico 2000. Não vamos fazer pré-julgamentos. Por ser um processo criminal, ele está na alçada do Judiciário. Assim que a Justiça resolver essa decisão, a Câmara tomará as medidas cabíveis a quais lhe compete”, disse o então presidente do legislativo Justino Malheiros. Mais uma vez, os aliados do prefeito não viram motivo para 'quebra de decoro parlamentar'.

Oposição
O vereador Abilio Junior, ao lado de Dilemário Alencar, Felipe Wellaton, Marcelo Bussiki, Lilo Pinheiro, Wilson Kero Kero e Diego Gimarães, integram a oposição na Câmara Municipal.

Abilio Junior presidiu a CPI da Saúde, que resultou na operação Sangria. Por causa das provas que obteve no Hospital São Benedito, foi preso o ex-secretário de Saúde Huark Douglas. O prefeito Emanuel Pinheiro também é investigado no processo.

O grupo de oposição denunciou diversas irregularidades e suspeitas de corrupção na administração municipal. Várias são apuradas pelo ministério Público, mas há poucos resultados práticos até o momento.

Listamos:
A contratação irregular de funcionários no HMC
, preterindo os aprovados em concurso; uso de dados do cadastro do IPTU por empresa privada que disparou SMS; 

Outra denúncia que virou inquérito no MPE é sobre um pagamento de R$ 7,9 milhões à empresa Alfema Dois Mercantil Cirúrgica Ltda, autorizada por Antônio Possas de Carvalho, no período em que exerceu a função de procurador-geral do Município, causando possível dilapidação aos cofres públicos no valor de R$ 3.550.034,72;

O MPE instaurou inquérito para apurar a denúncia de direcionamento de verbas de publicidade da Prefeitura para o irmão do prefeito, o Popó, e para aliados de Emanuel Pinheiro. O inquérito tramita em sigilo e  nenhum denúncia foi formalizada até o momento;

Reprodução

Toninho de Souza

Vereador Toninho de Souza blinda o prefeito Emanuel Pinheiro na CPI do Paletó

A CPI do Paletó, agora dominada pela tropa de choque do prefeito investigado, que vai decretar sessões secretas para blindar a atuação de Toninho de Souza e Vinicyus Huguenei e esconder os depoimentos dos que publicamente já disseram, em suas delações, que Emanuel Pinheiro é um dos deputados que recebeu propina de Silval Barbosa.

Leia também: Veja os documentos da delação de Riva que detalham propinas para o prefeito de Cuiabá e presidente do TCE

Enquanto os sete da oposição fiscalizam, a base do 'prefeito do paletó' aprovou empréstimos milionários atrelados ao dólar, arquivou as denúncias contra Emanuel Pinheiro, blindou vereadores investigados por suposto abuso sexual, tramou e executou o processo de cassação do vereador Abilio Junior, blindam a CPI do Paletó, cujo relatório já tem a linha mestra para livrar Emanuel Pinheiro de cassação; aprovou aumento de salário do prefeito e instituiu verba indenizatória para todos os servidores comissionados da Prefeitura.

Leia também: Eleitores defendem Abilio nas redes sociais e organizam manifestação #AbilioFica

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO