Terça-Feira, 20 de Novembro de 2018

TJ
Terça-Feira, 30 de Outubro de 2018, 08h:12

TJMT

Estado deve indenizar filha de detento assassinado

Redação

Reprodução

Tribunal de Justiça de Mato Grosso

A Segunda Câmara de Direito Público e Coletivo do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) manteve condenação posta ao Estado de Mato Grosso para indenizar a filha de um reeducando que foi assassinado dentro da Penitenciária Central do Estado (PCE), em Cuiabá.
 
No recurso de Apelação nº 97399/2017, a desembargadora Antônia Siqueira Gonçalves Rodrigues considerou que é dever do Estado indenizar pelo fato de que este deixou de cumprir seu dever de assegurar e proteger os detentos que estão sob sua tutela.
 
De acordo com processo, o reeducando foi espancado por outros detentos e morto com várias facadas. Na análise do recurso, a relatora constatou que a culpa é indiscutível, visto que o Estado possuía condições de evitar o episódio, pois não é permitido o uso de facas dentro das celas e os agentes carcerários tem a obrigação de vigiar os detentos, resguardando a integridade física.
 
A magistrada mencionou o art. 5º, inciso XLIX, da Constituição Federal, que assegura aos presos o respeito e a integridade física e moral. Uma vez desrespeitado tal preceito, haverá falha na prestação do serviço pelo Estado.
 
“Dessa forma, comprovado o nexo de causalidade entre a conduta negligente do Estado, ante a não adoção dos devidos cuidados na vigilância e integridade dos reeducandos, cabe a este arcar com o pagamento da indenização correspondente”, diz trecho do acórdão.
 
Confira AQUI o acórdão da Apelação nº 97399/2017.

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO