Domingo, 16 de Dezembro de 2018

TJ
Quinta-Feira, 22 de Fevereiro de 2018, 16h:11

STJ

Desembargador denunciado por bater na mãe

O Antagonista

Reprodução

Tribunal de Justiça do Paraná

Um magistrado do Tribunal de Justiça do Paraná foi afastado do cargo pelo STJ.

Motivo: ele foi denunciado por bater nas irmãs e na própria mãe.

Uma discussão do desembargador com as irmãs descambou para o pugilato e a pobre senhora foi atingida por um soco do filho.
O relator do caso no STJ, Napoleão Nunes Maia Filho, manifestou-se contrário ao afastamento do desembargador, com o argumento de que “o recebimento da denúncia não tira a presunção de inocência”. Outro ministro, Raul Araújo, que também votou contra o afastamento, aventou a hipótese de que, como as irmãs estavam munidas de gravador, o agressor pode ter sido “provocado até a última resistência”.

O STJ é um tantinho pitoresco. Já decidiu pela permanência no cargo de um juiz que assassinou jornalista com requinte de crueldade e, agora, pode criar a jurisprudência da briga de socos sem querer ou a de agressão a mãe como dano colateral.

1 COMENTÁRIO:

Pitoresco? Que absurdo! Sabem com quem estão falando?? Kkkkk https://contraponto.jor.br/o-caso-do-juiz-do-parana-que-virou-auxiliar-no-stj/
enviado por: Ibaitiaqui Dias em 23/06/2018 às 14:38:57
0
 
0
responder

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO