Terça-Feira, 29 de Setembro de 2020

Judiciário
Sábado, 12 de Setembro de 2020, 07h:31

VÍDEO DO PALETÓ

Emanuel Pinheiro vira réu por recebimento de propina; Câmara vai votar pedido de cassação

Jô Navarro

Reprodução

Emanuel Pinheiro

O juiz Jeferson Schneider, da 5ª Vara Federal, acatou denúncia do Ministério Público Federal (MPF) contra o prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro. Mais de três anos depois da veiculação em rede nacional do 'vídeo do paletó', que mostra o então deputado estadual recebendo propina no gabinete do ex-chefe de gabinete do governador, Silvio Corrêa, Emanuel Pinheiro vira oficialmente réu.

Segundo a denúncia do Ministério Público Federal, Emanuel Pinheiro foi filmado enchendo os bolsos com  R$ 50 mil em dezembro de 2013, quando "dirigiu-se até ao gabinete de Sílvio Cezar Corrêa Araújo, localizado na governadoria do Estado de Mato Grosso, ocasião na qual recebeu, a título de propina, a quantia de R$ 50 mil reais". 

Segundo consta na delação homologada do ex-governador Silval Barbosa, foi negociada a propina de R$ 600 mil para cada deputado,  "como forma de garantir governabilidade e a aprovação das contas do governo, o qual seria honrado em 12 parcelas iguais e sucessivas de R$ 50 mil".

A denúncia do MPF foi aceita pelo juiz Schneider na sexta-feira (11), às vésperas do anúncio oficial da candidatura do prefeito a reeleição. 

"O crime ocorreu no contexto do acordo de pagamento de propina no montante de R$ 600.000,00 (seiscentos mil reais), entabulado entre um grupo de deputados da AL/MT e o então governador SILVAL BARBOSA, como forma de garantir a
governabilidade e a aprovação das contas do governo, o qual seria honrado em 12 (doze) parcelas iguais e sucessivas de R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais)", diz trecho da denúncia. "Dentro deste contexto, no ano de 2013, o denunciado EMANUEL PINHEIRO dirigiu-se até ao gabinete de SÍLVIO CEZAR CORREA ARAÚJO, localizado na governadoria do Estado de Mato Grosso, ocasião na qual recebeu, a título de propina, a quantia de R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais)".

A conduta criminosa do denunciado EMANUEL PINHEIRO, devidamente registrada em vídeo, é corroborada por trecho do Termo de Declarações 03 prestado por SÍLVIO CEZAR CORREA ARAÚJO:

“QUE o Declarante gravou cheques. cinco vídeos em que os deputados foram até seu gabinete receber os pagamentos do valor de R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais) que lhes cabiam, sendo que gravou o recebimento ou a tratativa dessas entregas para as pessoas de BAIANO FILHO, J. BARRETO, LUIZ MARINHO, EMANUEL PINHEIRO (atual Prefeito de Cuiabá), LUCIANE BEZERRA (atual prefeita de Juara), ALEXANDRE CESAR, GILMAR FABRIS, ANTONIO AZÀMBUJA,
EZEQUIEL FONSECA (atual Deputado Federal), ZÉ DOMINGOS e AÍRTON RONDINA (AÍRTON PORTUGUÊS) os quais já foram entregues espontaneamente pelo Declarante ao MPF”.

Transcrição do diálogo de Emanuel Pinheiro com Silvio Correa

Por volta de 4m e 52s é possível ouvir a voz de Emanuel Pinheiro entrando e interagindo com Silvio Correa:
Emanuel Pinheiro: (incompreensível)

Aos 4m e 58s é possível visualizar melhor Emanuel Pinheiro em frente às câmeras:

Silvio Correa: E aí Mestre?
Emanuel Pinheiro: Fala jovem!
Silvio Correa: (incompreensível)
Emanuel Pinheiro: Encontrei com o Marcio. E aí? Como é que ficou?
Silvio Correa: Passar cinquenta agora. Mas tem que trazer uma mochila. Tá tudo muito miúdo
Emanuel Pinheiro: Miúdo. Deixa, deixa eu falar com você.

Toca o telefone fixo e Silvio atende:

Emanuel Pinheiro: (incompreensível), o João Mateus tá com pasta, cê entrega o meu pra ele, ele tá aí, ele ainda tá, ele saiu (incompreensível) 
Silvio Correa: Não sei se cabe muito não, tá muito miúdo. Tem de cinquenta, de dez, de vinte.
Emanuel Pinheiro: Mas você fez assim (incompreensível)
Silvio Correa: Eu consegui assim
Emanuel Pinheiro: (incompreensível)
Silvio Correa: Ninguém dando ajuda não
Emanuel Pinheiro: (incompreensível) recebeu no mês passado
Silvio Correa: (incompreensível)
Emanuel Pinheiro: Agora? Como que cê fez? Como que cê tá, bem?
Silvio Correa: (incompreensível)
Emanuel Pinheiro: Oh bicho, ‘cê é foda! Você, você pede aí um x-burguer (incompreensível)
Silvio Correa: Tá querendo me agradar pelo esquema
Emanuel Pinheiro: Relaxa
Silvio Correa: Como?
Emanuel Pinheiro: Relaxa
Silvio Correa: Como? (incompreensível) Eu tenho um (incompreensível – projeto) pra receber sexta (incompreensível – falam juntos)
Emanuel Pinheiro: (incompreensível) de segunda?
Silvio Correa: Segunda, à noite e terça, à noite

Nesse momento, Silvio Correa, apresenta o celular a Emanuel Pinheiro, aparentemente apresentando alguma mensagem

Emanuel Pinheiro: (incompreensível) Quem é esse aí?
Silvio Correa: É o filho do Jurandir, da Solução Cosméticos
(6:17)
Emanuel Pinheiro: É esse aí?
Silvio Correa: É
Emanuel Pinheiro: Da foto?
Silvio Correa: É
Emanuel Pinheiro: Qual que é a empresa que eles tinha? Cê lembra o nome?
Silvio Correa: Ah, não lembro. É esquema
Emanuel Pinheiro: Ele que deu?
Silvio Correa: (incompreensível)
Emanuel Pinheiro: Você não ficou com nada?
Silvio Correa: Não

Emanuel Pinheiro: É tudo meu isso daí?
Silvio Correa: (incompreensível)
Emanuel Pinheiro: Ah, você (incompreensível)
Silvio Correa: (incompreensível) Só olha aí, pô
Emanuel Pinheiro: Cadê?

Aos 6 minutos e 37 segundos Emanuel se levanta e se estique para olhar o que aparentemente se trata do local onde está guardado o dinheiro

Silvio Correa: Aqui ó
Emanuel Pinheiro: (incompreensível)
Silvio Correa: Aqui ó
Emanuel Pinheiro: Pega as notas de cem pra mim pra (incompreensível)
Silvio Correa: (incompreensível) mas é só um pacote de cem, lá eu tiro, só tem um pacote de cem. Cê qué leva o de cem?
Emanuel Pinheiro: Não, mas não dá o de cinquenta?
Silvio Correa: Não dá. Tem vinte aqui já
Emanuel Pinheiro: Deixa eu ver
Silvio Correa: Graúdo. Vinte e um
Emanuel Pinheiro: Esse dá. E não tem mais nenhum aí?
Silvio Correa: Não (incompreensível – falam ao mesmo tempo)
Emanuel Pinheiro: (incompreensível – falam ao mesmo tempo)
Silvio Correa: Só de vinte
Emanuel Pinheiro: Eu levo vinte e você dá trinta pra ele. Feito?

Aos sete minutos e nove segundos, Silvio estende o braço com um maço de dinheiro e entrega ao Emanuel Pinheiro:

Silvio Correa: Feito. Tem mais cem
Emanuel Pinheiro: Já vi. Mas pode ser?
Silvio Correa: Pode
Emanuel Pinheiro: Aí cê já dá os trinta pra ele

Nesse momento, Emanuel começa a guardar os maços de dinheiro nos bolsos do paletó chegando, em determinado momento, a cair dinheiro no chão.

Enquanto guarda o dinheiro ainda brinca com a frase: “Ê, Silvio”... talvez fazendo menção a um conhecido comunicador e empresário da rede de televisão que repetia a frase em seus programas dominicais: “Quem quer dinheiro?”.

CPI do Paletó

Na Câmara, o relatório da CPI do Paletó, que pede a cassação do prefeito, chegou a ser arquivado, mas terá que ser submetido à CCJR e colocado novamente em votação no Plenário, atendendo decisão judicial. Desta vez ficará mais difícil para os vereadores que apoiam Emanuel fazerem vista grossa às provas, já que a Justiça Federal o tornou réu.

Leia também: Juiz determina nova votação do relatório da CPI do Paletó que pede cassação de mandato de Emanuel Pinheiro

Arquivo pessoal

Abilio Junior e Felipe Wellaton

 

Enquanto isso, a oposição se une para disputar a Prefeitura de Cuiabá, com acordo entre os principais opositores do prefeito, vereadores Abilio Junior (Podemos), Felipe Wellaton e Diego Guimarães, ambos do Cidadania. Ontem (11) eles anunciarama cordo para a disputa, com Abilio candidato a prefeito e Wellaton vice. Diego Guimarães vai disputar a reeleição na Câmara.

Ao lado de Dilemário Alencar e Marcelo Bussiki, Abilio, Wellaton e Diego se opuseram ferrenhamente à gestão de Emanuel Pinheiro, denunciando fraudes na Saúde, Educação, irregularidades na Semob, dentre outras. 

 

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO