Terça-Feira, 23 de Outubro de 2018

Internacional

Sábado, 14 de Abril de 2018, 07h:23

GUERRA DA SÍRIA

Trump lidera ataque aliado contra Síria

El País

HASSAN AMMAR AP

Céu de Damasco

O presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou ataque à Síria em um discurso televisionado em Washington nesta sexta-feira, no qual informou que o movimento das forças norte-americanas conta com o apoio da França e do Reino Unido. A ofensiva bélica foi efetivada dois dias depois de uma ameaça feita por Trump pelo Twitter. "Uma operação combinada com as forças armadas da França e do Reino Unido está em curso neste momento", disse Trump aos norte-americanos. O presidente disse ainda que os alvos eram bases sírias supostamente ligadas ao armazenamento e produção de armas químicas.

O ataque dos EUA e aliados é uma resposta ao suposto uso de armas químicas por parte do regime de Bashar al-Assad contra a população civil em Duma, um reduto rebelde na periferia de Damasco. O ataque, que matou 60 civis e causou centenas de feridos, foi no sábado e foi lido pela Casa Branca como um desafio à linha vermelha traçada por Trump há um ano, quando, depois de uma matança similar, ele arrasou com 59 mísseis Tomahawk a base aérea de Shayrat, na cidade de Homs.

A Síria negou os ataques. Já a Rússia, uma aliada do regime Assad, disse que um ataque aliado ao país em guerra há sete anos poderia começar um conflito global. Com o bombardeio, Trump fez chegar tanto à Rússia como ao Irã a mensagem de que os EUA, sob seu comando, não titubeia, dispara: “Estão apoiando um assassino em massa. Devem decidir de que lado estão", sentenciou o presidente. Apesar da mensagem dura, as autoridades militares norte-americanas informaram depois que alvos russo ou ligados à Rússia haviam sido poupados.

O bombardeio acontece dois dias depois de Trump fazer uma ameaça, que agora cumpre.  "A Rússia promete abater todos os mísseis contra a Síria. Prepare-se, Rússia, porque o que virá será [mísseis] bonito, novo e inteligente. Você não deve ser parceiro de um animal que mata seu povo com gás e gosta disso!", disse Trump no Twitter durante a semana.

A reação da Rússia e do Irã nas próximas horas e dias marcará o futuro da região mais instável do planeta.

 

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO