Quinta-Feira, 19 de Julho de 2018

Internacional

Sábado, 06 de Janeiro de 2018, 15h:35

EUA

7 revelações que o livro mais explosivo do ano faz sobre Trump

John Wagner, Callum Borchers The Washington Post

JUSTIN SULLIVAN/AFP

"Fogo e Fúria" contém muitas ideias e afirmações interessantes, grandes e pequenas. Algumas são inéditas; outras são conhecidas, mas reforçadas por cores e detalhes adicionais

O presidente Donald Trump é um gênero literário à parte. Há "Understanding Trump" (Entendendo Trump, em tradução livre), de Newt Gingrich, ex-congressista republicano; "Let Trump Be Trump" (Deixe Trump ser Trump, em tradução livre), pelos antigos assessores de campanha Corey Lewandowski e David Bossie; "The Swamp" (O Pântano), do ex-âncora da Fox News Eric Bolling; e um próximo livro ainda a ser lançado pelo ex-secretário de imprensa da Casa Branca, Sean Spicer. 

Note que todos esses autores são partidários de Trump. É por isso que “Fire and Fury” (Fogo e Fúria) de Michael Wolff, que seria lançado no dia 9 de janeiro, mas chegou às livrarias americanas quase uma semana antes do previsto, é importante. Wolff, um jornalista veterano que escreveu para a revista Vanity Fair, para o jornal The Guardian, para o Hollywood Reporter e outras publicações, apresenta seu novo título como uma grande reportagem. 

Wolff diz que seu livro baseia-se em 200 conversas realizadas nos últimos 18 meses com Trump, a maioria dos integrantes do mais alto escalão de sua equipe, alguns dos quais conversou dezenas de vezes. 

"Fogo e Fúria" contém muitas ideias e afirmações interessantes, grandes e pequenas. Algumas são inéditas; outras são conhecidas, mas reforçadas por cores e detalhes adicionais. Aqui estão sete que se destacam: 

1 - Trump pensou que perderia as eleições 

Trecho: "Na política, alguém tem que perder, mas invariavelmente todos pensam que podem vencer. E você provavelmente não pode vencer a menos que você acredite que ganhará - exceto na campanha Trump. Donald achava sua própria campanha amadora e todos os envolvidos perdedores. Ele estava igualmente convencido de que o staff de Clinton era composto por vencedores: ‘Eles conseguiram o melhor e temos o pior’, dizia com frequência." 

2 - Stephen Bannon considerou o encontro de Donald Trump Jr. com uma advogada russa "traição" 

 

Trecho: "’A chance de que Don Jr. não tenha se encontrado com os russos no escritório de seu pai no vigésimo sexto andar é zero’, disse um atônito [Stephen K.] Bannon, pouco depois da reunião ter sido revelada. ‘Três coordenadores da campanha’, prosseguiu um incrédulo Bannon, ‘pensaram que era uma boa ideia se reunir com um governo estrangeiro dentro da Trump Tower, na sala de conferências, no vigésimo quinto andar - sem advogados. Mesmo que eles não tenham pensado que isso não era traição, nem antipatriótico, ou simplesmente algo muito errado, e acho que é tudo isso, eles deveriam ter chamado o FBI imediatamente’." 

(Os repórteres do Washington Post não encontraram provas de que Trump tenha se encontrado com os russos durante esta reunião na Trump Tower). 

3 - Trump pediu ao chefão da Fox News para coordenar a campanha 

Trecho: "No início de agosto [2016], menos de um mês depois de [Roger] Ailes ter sido expulso da Fox News, Trump pediu a seu velho amigo para assumir o controle de sua campanha, que estava indo de mal a pior. Ailes, sabendo a falta de inclinação de Trump para tomar conselhos ou mesmo ouvi-los, declinou da oferta.”

4 - Melania Trump tinha medo de se tornar primeira-dama

Trecho: "O New York Post obteve as imagens de uma sessão de fotos que Melania tinha feito no início de sua carreira de modelo, nua - um vazamento que todos, inclusive Melania, assumiram, poderia ser rastreado até o próprio Trump. Inconsolável, ela confrontou seu marido. ‘Este é o futuro?’ Ela disse que não seria capaz de suportar. Trump respondeu à sua moda - Vamos processá-los! Mas ele também estava incomodado. ‘Aguente apenas um pouco mais’, ele prometeu. Tudo acabaria em novembro. Ele fez mais uma promessa: simplesmente não havia chance de ganhar.” 

5 - Trump come no McDonald's porque ele acha a comida segura 

Trecho: "Ele sempre teve medo de ser envenenado, razão pela qual ele gostava de comer no McDonald's - ninguém sabia que ele estava vindo e a comida estava seguramente pré-fabricada". 

6 - Ivanka Trump também quer ser presidente 

Trecho: "Jared [Kushner] e Ivanka fizeram um acordo entre eles: se algum dia chegasse o momento, ela seria a candidata a presidente (ou a primeira a tentar o cargo). A primeira mulher presidente, Ivanka gostava de brincar, não seria Hillary Clinton, seria Ivanka Trump.” 

7 - Trump ficou surpreso com as críticas à demissão do diretor do FBI 

Trecho principal: "Trump acreditava que demitir James Comey faria dele um herói. Era simples: ele havia enfrentado o FBI. Ele provou que ele estava disposto a tomar o poder do Estado. O outsider contra os velhacos da política. Afinal, foi por isso que ele havia sido eleito." 

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO