Caldeirão Político

Sexta-Feira, 03 de Julho de 2020, 12h:16

Morre em Cuiabá o vice-presidente da Assembleia de Deus em MT

Jô Navarro

Segundo na hierarquia da igreja Assembleia de Deus em Mato Grosso, o pastor Rubens Siro de Souza, 68 anos, faleceu nesta sexta-feira (03) vítima de Covid-19. Ele estava internado na UTI do Hospital Femina em Cuiabá.

O vereador Abilio Junior, sobrinho do pastor, fez um apelo dramático ao médico responsável para que prescrevesse a medicação alternativa. Depois do vídeo os médicos conversaram com a família e Abilio retirou a gravação de suas redes sociais. Abatido, pediu orações para o pastor Rúbens e pelo seu avô, Sebastião Rodrigues de Souza, 89 anos, pastor presidente das Assembleias de Deus em Mato Grosso, que está na UTI do mesmo hospital e respira por aparelhos.

A esposa de Sebastião, Nilda de Paula, 85 anos, ainda está internada no mesmo hospital e se recupera da covid-19.

Apelo na Câmara Municipal 

Nesta semana o vereador Abilio Junior se colocou à disposição da Prefeitura de Cuiabá e do Governo do Estado para ajudar nos trabalhos de combate à Covid-19. “A minha intenção aqui não é só cobrar que venha UTI, que compre respiradores, etc. Isso é necessário, mas é mais necessário ainda, evitar que as pessoas precisem disso”, falou Abilio. O pronunciamento foi feito durante a sessão on-line da Câmara de Cuiabá, na quinta-feira (02).

Sem apontar responsáveis, Abilio considerou a atual situação da cidade bastante difícil. Hoje, conforme dados da Prefeitura, são mais de 4 mil casos confirmados e 300 mortes. “Haverá o momento certo para investigar tudo isso”, disse.

O vereador sugeriu ainda o estabelecimento de um “Protocolo Precoce”, conforme ele, já adotado em outras cidades do país. “O uso precoce de medicamentos, já nos primeiros sintomas, ajuda a diminuir o número de pessoas que pode precisar de UTI e respiradores”, disse Abilio, citando, inclusive, que tal medida tem sido recomendada pelo Ministério da Saúde.

Segundo o parlamentar, com o crescimento de registros da doença na Capital, o número de liminares junto à Defensoria Pública do Estado, com pedidos de UTI, aumentou, significativamente. “Não tem para onde correr”, frisou o vereador, lembrando que vem denunciando o problema da saúde de Cuiabá desde 2017, ainda no primeiro ano de seu mandato. Em 2018, foi responsável pela “CPI da Saúde”, que contribuiu para que fosse deflagrada a operação “Sangria”. Nela foram presos o secretário de Saúde (à época), médicos e empresários, envolvidos em um suposto esquema de irregularidades na prestação de serviços médicos hospitalares, principalmente os de UTI.

“Independente das diferenças políticas ou dos nossos conflitos, estou à disposição. Estou à disposição da Câmara, da Comissão de Saúde, da Prefeitura, do Governo do Estado. O pouco conhecimento que a gente tem, se puder ajudar, eu quero ajudar. Eu não tô (sic) aqui para fazer política de oposição. Tô (sic) aqui para fazer política para as pessoas”, enfatizou Abilio, dizendo ainda que não quer que as pessoas passem pelo o que ele vem passando.


Fonte: Caldeirão Político

Visite o website: caldeiraopolitico.com.br