Caldeirão Político

Segunda-Feira, 29 de Junho de 2020, 11h:21

Médico sanitarista, deputado alerta: "Só o isolamento social rigoroso pode conter avanço da Covid-19 em MT"

A medida mais eficaz é o isolamento social rigoroso, defendeu o parlamentar

Jô Navarro

 

O deputado estadual Lúdio Cabral (PT) alertou nesta manhã, durante a sessão plenária na Assembleia Legislativa, sobre o avanço da Covid-19 em Mato Grosso.

Hoje a taxa de mortalidade é de 3,7% mortalidade. Sem o isolamento social, sem redução do crescimento da contaminação, teremos 2756 mortes até dia 1º de agosto. Segundo Lúdio Cabral, de acordo com os dados da última semana epidemiológica, a pandemia cresce 4,9% ao dia.

Lúdio Cabral defendeu isolamento social rigoroso no estado, no que foi apoiado pelo presidente da casa, Eduardo Botelho: “Vamos trabalhar para o isolamento que nesse momento é a única alternativa, não vejo outra medida com impacto rápido”.

“O que eu quero chamar a atenção aqui é para a necessidade de rigor no isolamento social. É preciso colocar governador e prefeitos na mesma mesa, remotamente, é lógico, todas as instituições, por que é o rigor no isolamento social que poderá evitar essa situação de tragédia, que já estamos vivendo, essa situação agravada. Vou passar um dado: se reduzirmos a taxa de crescimento do número de casos por dia de 4,9% para 3,9% ao dia evitaremos 21 mil casos de covid-19 em 1º de agosto. Se nós reduzirmos pra 2,9%, evitaremos 35 mil casos novos até 1º de agosto, significa poupar mil vidas, mil mortes a menos”.

Segundo Lúdio Cabral, os gestores precisam parar de 'bater cabeça' e se unirem para reforçar o isolamento social. "É a única defesa cientificamente comprovada para conter a doença", e alertou que o próximo colapso será o de médicos. “Não teremos profissionais de saúde pra atender a população”.

A medida mais eficaz é o isolamento social rigoroso, reiterou o parlamentar.

Leia também:

Em artigo, deputado sanitarista projeta 30 mil casos de covid-19 em MT até final de julho

 Taxa de ocupação está em 94,1% para UTIs e em 32,3% para enfermarias


Fonte: Caldeirão Político

Visite o website: caldeiraopolitico.com.br