Caldeirão Político

Sábado, 02 de Novembro de 2019, 10h:29

Investigado por assédio, Adevair Cabral diz que permitirá quebra de sigilo telefônico

O vereador Adevair Cabral passou de acusador de quebra de decoro para investigado. Se confirmada a denúncia, poderá até ter o mandato cassado.

Jô Navarro

O vereador Adevair Cabral (PSDB), um dos sete que acusam o vereador Abilio Junior de quebra de decoro parlamentar, está sendo investigado por assédio sexual de uma ex-servidora da secretaria de Saúde de Cuiabá.

Cabral registrou um Boletim de Ocorrência (BO) na quinta-feira (31-10) em que acusa Abilio Junior de tê-lo ameaçado com a divulgação de uma foto em que aparece de cuecas. A partir do BO, a polícia começou a investigar o caso e deparou-se com a suspeita de assédio sexual.

A ex-servidora prestou depoimento na sexta-feira (1º) e confirmou que Adevair Cabral a assediou por meio do aplicativo WhatsApp. No dia 23 de maio de 2017 ele enviou uma foto em que aparece na cama vestindo uma cueca 'samba-canção'.

Numa determinada ocasião, foi chamada pelo vereador a participar de uma reunião na Associação dos Servidores da Prefeitura de Cuiabá, conhecida como ‘Clube Aspe’, para tratar da sua situação funcional. Quando entrou na sala, deparou-se com o vereador se masturbando. Abalada, saiu do local. Apesar disso, ela não registrou boletim de ocorrências na ocasião.

Reprodução

Adevair Cabral - PSDB

 

Posteriormente o indicado de Adevair Cabral, que exerce o cargo de coordenador da Regional Norte da equipe de Atenção Básica do Município, Gilson Guimarães, passou a assediá-la. Diante da rejeição por parte da servidora, transferiu-a para várias unidades de saúde do município. A mulher registrou vários Boletins de Ocorrência contra o chefe, entrou em depressão e ficou um período em licença médica. Finalmente foi demitida por Gilson Guimarães, informa o GD

A denúncia foi publicada em primeira mão pelo telejornal MTT1, na TV Centro América, na sexta-feira (1º-11). A Câmara Municipal fez uma reunião de emergência e o vereador Adevair Cabral disse, por meio de sua assessoria, que vai disponibilizar a quebra de sigilo telefônico de seu celular assim que a denúncia for protocolada.

Reprodução/Facebook

Abilio Brunini

 

Segundo o vereador Abilio Junior, ele foi procurado pela vítima e orientou-a a protocolar a denúncia no Ministério Público, apresentando as provas que tem. Abilio negou ter "espalhado" fotos íntimas do colega Adevair cabra, e afirma que apenas mostrou para alguns colegas, para juntos decidirem como denunciar o caso no legislativo.

Relembre:  Decretada prisão do vereador Chico 2000 acusado de abusar da enteada

 

 

Outro lado
A assessoria da SMS disse não ter localizado o servidor Gilson Guimarães para saber se ele quer se manifestar sobre o caso.

A assessoria do vereador Adevair Cabral divulgou uma nota em que nega o assédio.

Nota de esclarecimento
Com relação à suposta denúncia de assédio, o vereador Adevair Cabral (PSDB) esclarece que:

- Tomou conhecimentos do fato por meio da imprensa, tendo em vista que não há qualquer tipo de representação ou denúncia contra a sua pessoa nos órgão de controle;

- Afirma ainda que irá buscar se interar sobre o ocorrido para tomar as providências cabíveis;

- Na tarde desta quinta-feira, dia 31, o parlamentar registrou um Boletim de Ocorrência contra o vereador Abílio Junior (PSC), uma vez que chegou ao seu conhecimento que o parlamentar estava propagando fotos íntimas suas para os demais integrantes do Parlamento Municipal;

- Até então, Adevair não tinha conhecimento de qualquer tipo de denúncia contra a sua pessoa.

- O registro do Boletim de Ocorrência foi uma forma de resguardar as sua privacidade e de sua família.

Vereador Adevair Cabral (PSDB)


Fonte: Caldeirão Político

Visite o website: caldeiraopolitico.com.br