Caldeirão Político

Quinta-Feira, 18 de Julho de 2019, 15h:42

TRF-4 julga pedidos de suspeição no caso do sítio de Lula

Redação

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), de Porto Alegre,  julga nesta quinta-feira (18) dois pedidos de exceções de suspeição no caso do sítio de Atibaia, envolvendo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Os pedidos partiram da defesa do petista.

Os advogados de Lula pedem que o ex-diretor-geral da Polícia Federal, o delegado Rogério Galloro, seja chamado a prestar informações em um processo que aponta que o desembargador  Thompson Flores é suspeito de analisar ações do ex-presidente da 8ª Turma do TRF-4. Lula cumpre pena de 12 anos e 11 meses de prisão no caso do sítio.

Para os advogados, Thompson deve ser declarado suspeito por sua atuação enquanto era presidente do TRF-4 para impedir a soltura de Lula, em julho do ano passado. Segundo a defesa, naquela ocasião, o petista havia conseguido um habeas corpus durante o plantão judicial, mas permaneceu preso após Thompson telefonar para Galloro e pedir que o ex-presidente fosse mantido na cela, na sede da PF em Curitiba.

Flores nega que tenha dado ordens para o então diretor-geral da PF, mas em entrevista, Galloro confirmou ter recebido a orientação. “Eu estou determinando, não soltem”, teria dito.

A defesa pede que Rogério Galloro seja inscrito como testemunha para que preste os esclarecimentos diante de um juiz. Os advogados de Lula também querem que o desembargador explique a contradição das informações prestadas após o episódio e esclareça se houve orientações informais do então juiz Sérgio Moro no caso.

Os advogados de Lula também pedem que o julgamento da suspeição de Thompson Flores, previsto para a tarde desta quarta-feira, (18/7), seja remarcado. A defesa alega prejuízo à sua atuação e afirma que o processo, ajuizado no último dia 1º de julho, “vem tramitando com ímpar celeridade” e indica que a sessão foi marcada logo após parecer do Ministério Público Federal.


Fonte: Caldeirão Político

Visite o website: caldeiraopolitico.com.br