Caldeirão Político

Sábado, 01 de Junho de 2019, 10h:07

Mauro Mendes terá de negociar com operadora do gasoduto para viabilizar compra de gás boliviano

Mauro Mendes optou por deixar para um segundo momento as tratativas com a Âmbar Energia, controladora do gasoduto Brasil-Bolívia

Jô Navarro

O governador Mauro Mendes obteve permissão da Petrobras para que o governo de Mato Grosso negocie a importação de gás diretamente com a Bolívia. De acordo com a MT Gás, o Estado oficializou no dia 14 de maio o pedido de fornecimento de 2,5 milhões de m³ ao dia à empresa YPFB em um contrato firme, ou seja, a empresa é obrigada a entregar a quantia de gás contratada.

O contrato vigente é o chamado interruptivo, em que a empresa não tem a obrigação de entregar todo o gás pactuado. Além disso, o atual montante contratado é de 1,5 milhões de m³ ao mês. 

Ainda segundo a MT Gás, o contrato firme contribui para que as empresas tenham segurança jurídica para a cadeia produtiva do gás natural. Durante 15 anos de existência da MT Gás, Mato Grosso nunca teve um contrato firme.

Petrobras x Âmbar Energia

A Petrobras detém o monopólio de fornecimento de gás boliviano no Brasil e rompeu o contrato de entrega que tinha com a Âmbar Energia, empresa do grupo J&F. O trecho brasileiro do gasoduto é de propriedade da GasOcidente. Já a Âmbar Energia, empresa do grupo J&F controla a operação do gasoduto.

A Âmbar, por sua vez, suspendeu as operações em 2018, numa reação ao arquivamento, pela Superintendência-Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE), de ação movida pela empresa em que acusa a Petrobras de conduta anticoncorrencial no fornecimento de gás natural.

A comitiva de Mato Grosso que reuniu-se na última quinta-feira (30-05) com o presidente da Bolívia, Evo Morales, e com o ministro Luis Alberto Sánchez Fernández, do Ministério de Hidrocarbonetos, para dar início às tratativas da comercialização do gás boliviano não teve nenhum representantes da Âmbar Energia. O governador Mauro Mendes foi acompanhado dos secretários Mauro Carvalho (Casa Civil) e Rogério Gallo (Fazenda), além do presidente do MT Gás, Rafael Reis, do diretor comercial do MT Gás, Juliano Calçada, e do consultor Vanderlei Reck Júnior.

Tratativas na Bolívia

Durante o encontro, realizado em Santa Cruz de la Sierra, o governador Mauro Mendes assinou um termo de desenvolvimento de mercado com o Governo Boliviano para aprofundar a integração energética entre o Estado e a Bolívia, com foco na retomada da comercialização do gás boliviano.

Governo da Bolívia

Reunião com Morales

 

“Nós discutimos a cooperação e possível parceria do governo boliviano, por meio do Ministério e da Yacimientos Petroliferos Fiscales Bolivianos (YPFB) [empresa pública boliviana] com o MT Gás. Nosso objetivo é contribuir para desenvolver a comercialização, junto com o MT Gás, do gás natural, do GLP e da ureia, em parceria com o governo boliviano”, explicou o Mendes.

O próximo encontro entre os dois governos está marcado para o próximo mês, em Cuiabá. “O ministro Luis Sánchez estará em Cuiabá para darmos continuidade às tratativas para o desenvolvimento em conjunto desse mercado, com as empresas MT Gás e a YPFB”, destacou o governador.

O governo de Mato Grosso está priorizando, nesta fase, a compra do gás, e optou por deixar para um segundo momento as tratativas com a responsável pelo transporte do gás boliviano via gasoduto, a Âmbar Energia. 

Nossa redação entrou em contato com representantes da Âmbar Energia por telefone e por e-mail, mas até o momento desta publicação a empresa não respondeu. 

 

 

 


Fonte: Caldeirão Político

Visite o website: caldeiraopolitico.com.br