Caldeirão Político

Sábado, 18 de Maio de 2019, 08h:54

Rodrigo Rodrigues: GW100 é ferramenta de roubar dinheiro

Rodrigues denuncia uso da Sicom em favor de grupo liderado pelo irmão do prefeito Emanuel Pinheiro e afirma que o "GW100 é ferramenta de roubar dinheiro".

Jô Navarro

Cuiabá - O jornalista e empresário Rodrigo Rodrigues (ex-MDB) está mobilizando a população para um grande protesto no dia 31 de maio contra a "quadrilha que nos governa". Nos grupos de Whatsapp o jornalista informa que será a maior manifestação contra a corrupção já realizada na Capital, com trio elétrico e telão, em frente ao Villa Felici Buffet, onde acontece nesta data a 'premiação' do GW100 Awards, que o grupo chama de "Oscar da comunicação mato-grossense".

No áudio (ouça ao final), Rodrigo Rodrigues diz que durante o protesto divulgará os nomes de todas as pessoas que compactuam com o maior esquema de corrupção da prefeitura de Cuiabá.

"Temos mais de 10 ônibus locados, trio elétrico, de onde transmitiremos o áudio do senhor Popó implorando ao senhor Wilson Santos para que não o denuncie. Terá, ainda, um telão para passar, durante todo o período da manifestação, o vídeo do prefeito colocando dinheiro no paletó. E ainda, falaremos os nomes de todas as pessoas que compactuam com esse que é o maior esquema de corrupção da prefeitura de Cuiabá”, diz Rodrigues.

Segundo Rodrigues, "o GW100 era apenas um grupo de Whatsapp e se tornou uma ferramenta de roubar dinheiro”. Comandado pelo irmão do prefeito, Marco Polo de Freitas Pinheiro, o Popó, o GW100 reúne jornalistas, empresários, políticos e personalidades. “Veja bem senhores, o senhor Popó alugou uma televisão sem audiência. A antena da TV está desligada por falta de pagamento, há meses. (…) E é repassado mais de R$ 80 R$ 100 mil reais da prefeitura de Cuiabá. E o ministério Público não vê isso”.

O evento programado pelo GW100 no dia 31 de maio reunirá 600 convidados e tem as presenças confirmadas da atriz Mariana Ximenes e show da banda Titãs. Segundo Rodrigues, a premiação é "piada de mau gosto"

Sigilo no MPE

Em maio de 2018 o Caldeirão Político noticiou que os vereadores Abílio Júnior (PSC), Felipe Welaton (PV), Dilemário Alencar (PROS), Diego Guimarães (PP), Gilberto Figueiredo (PSB), Toninho de Souza (PSD) e Marcelo Bussiki (PSB) denunciaram ao Ministério Público o direcionamento de verbas de publicidade da Prefeitura de Cuiabá para empresas e pessoas ligadas ao prefeito Emanuel Pinheiro (MDB).

A denúncia originou-se de fiscalização feita pelo vereador Abilio Junior na Secretaria de Inovação e Comunicação, in loco, quando teve acesso a planilhas que apontam pagamento para Popó, sem relacionar a nenhuma publicidade veiculada. O caso resultou na exoneração da ex-diretora administrativa da Sicom, Cidinha Aguiar, que enviou as planilhas, por e-mail, para o vereador Abilio, no momento da fiscalização. Um ano depois, o procedimento aberto pelo MPE tramita em sigilo e não se sabe se a investigação avançou. 

 

 

 


Fonte: Caldeirão Político

Visite o website: caldeiraopolitico.com.br