Quinta-Feira, 13 de Dezembro de 2018

Geral
Quarta-Feira, 26 de Março de 2014, 08h:55

VOO MH370

Satélite detecta 122 objetos no mar que podem ser do avião da Malásia

Redação

 A presença de 122 objetos foi detectada hoje (26) em área ao Sul do Oceano Índico, onde são feitas as buscas ao avião da Malaysia Airlines, desaparecido desde 8 de março com 239 pessoas a bordo.

Os objetos foram observados em imagens de satélite tiradas pelo Centro de Controle da Airbus para a Defesa e Espaço, em área de 400 quilômetros quadrados do oceano, disse o ministro dos Transportes da Malásia, Hishammuddin Hussein, em entrevista coletiva.

Para ele, o governo da Malásia será julgado favoravelmente na história pela sua conduta em relação ao desaparecimento do avião que fazia o voo MH370. “A história vai julgar-nos de forma favorável”, disse Hussein na entrevista.

As buscas ao avião da Malaysia Airlines foram retomadas hoje de madrugada, na Costa da Austrália Ocidental, a sudoeste da cidade australiana de Perth.

Na terça-feira, parentes das vítimas chinesas do acidente protestaram em frente à Embaixada da Malásia em Pequim, manifestando desconfiança de que a verdade não foi revelada totalmente. “Exigimos o regresso dos nossos” ou “Eu não posso imaginar viver sem ti” eram frases lidas em camisetas dos manifestantes. A polícia chinesa colocou agentes na Embaixada da Malásia e fechou o trânsito na rua da representação diplomática, impedindo as pessoas de se aproximar.

O protesto começou no hotel onde, há cerca de duas semanas, estão hospedados parentes dos passageiros chineses do voo da companhia malaia. Eles têm mantido reuniões com os responsáveis pela empresa.

O voo MH370 da Malaysia Airlines decolou, no dia 8 de março, de Kuala Lumpur, com 239 pessoas a bordo, rumo a Pequim, mas desapareceu dos radares pouco depois da partida, em condições que continuam sem explicação, já que não foi registrado qualquer pedido de socorro ou comunicado qualquer perigo a bordo.

*Com informações da Agência Lusa

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO