Sexta-Feira, 13 de Dezembro de 2019

Geral
Segunda-Feira, 29 de Julho de 2019, 17h:20

CAMPANHA SALARIAL

Funcionários dos Correios param a partir de quarta-feira; TST marca conciliação

Funcionários dos Correios vão entrar em greve por tempo indeterminado a partir de quarta-feira (1º).

Da Redação

Divulgação

Segundo a Federação Nacional dos Trabalhadores dos Correios (Fentect), a paralisação se deve a "reivindicações não atendidas pela empresa na mesa de negociação".

A Fentect afirma que não foi concedido reajuste salarial e a categoria é contra a retirada de "direitos históricos da categoria".

TST

O vice-presidente do Tribunal Superior do Trabalho, ministro Renato de Lacerda Paiva, apresentará na próxima quarta-feira (31), às 15h, proposta de acordo para a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) e as federações representantes de seus empregados.

Urgência

Ao convocar a audiência, o vice-presidente lembrou que vem envidando esforços na busca de solução de consenso para o conflito entre a empresa e os empregados, que é objeto de procedimento de mediação pré-processual em andamento no TST. Entre outras medidas, o ministro tem promovido intensas interlocuções com os representantes dos dois lados. “Tais atividades foram mantidas com a mesma ou com maior intensidade no corrente período de paralisação do funcionamento regular do TST, considerando principalmente a urgência para a solução e a relevância do caso”, afirma.

A urgência diz respeito à data-base da categoria, em 1º de agosto. A preocupação do ministro Renato de Lacerda Paiva é que, com o término da vigência do atual acordo coletivo, os pais dos empregados possam perder o benefício do plano de saúde.

No despacho, o vice-presidente pede que os representantes da empresa e das federações informem o evento de transmissão a todos os empregados, a fim de que categoria possa acompanhar a apresentação e ter a melhor compreensão possível dos termos da proposta.

Preocupações

A proposta da Vice-Presidência deve contemplar as principais preocupações dos empregados sobre o plano de saúde, como a base de cálculo da mensalidade e a isenção de coparticipação de tratamento contínuos. No dia 17/7, em reunião com representantes da Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios, Telégrafos e Similares (Fentect) e da Federação Interestadual dos Sindicatos dos Trabalhadores e Trabalhadoras dos Correios (Findect), o ministro pediu que a categoria avaliasse algumas sugestões sobre esse tema, sobre a coparticipação e sobre o plano de saúde para os pais, de forma a contribuir para a consolidação da proposta a ser apresentada.

1 COMENTÁRIO:

muito bom assim agiliza logo a privatizaçao
enviado por: lenilson silva em 29/07/2019 às 18:13:05
0
 
0
responder

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO