Terça-Feira, 21 de Novembro de 2017

Geral
Sexta-Feira, 10 de Novembro de 2017, 08h:09

CINEMA

Ancine anuncia projetos vencedores de coproduções com Chile e Portugal

Paulo Virgilio

Divulgação

A Agência Nacional do Cinema (Ancine) anunciou os projetos vencedores das chamadas públicas de apoio a coproduções com o Chile e com Portugal, ambas integrantes do programa Brasil de Todas as Telas. Ao todo, seis projetos foram selecionados nos dois editais binacionais.

O concurso de coprodução com o Chile, realizado em parceria com o Conselho Nacional da Cultura e das Artes (CNCA) daquele país, selecionou dois projetos de longas-metragens. Cada um receberá o equivalente a US$ 100 mil, em moedas locais.

O projeto de coprodução minoritária brasileira a ser apoiado pela Ancine, A vaca que cantou uma canção sobre o futuro, de Francisca Alegría, tem como proponente brasileira a produtora Bananeira Filmes, que trabalhará em parceria com a coprodutora chilena Jirafa Filmes. O projeto Araña, de Andrés Wood, parceria entre a brasileira Be Bossa Nova Criações e Produções e a chilena Andrés Wood Producciones, ficou como suplente.

A produção minoritária chilena que receberá o apoio do CNCA será Oh primavera, devuélveme a mi pueblo, de Cristiano Abud, uma coprodução entre a chilena Maskin Producciones e a brasileira Abuzza Filmes. Como suplente, foi classificado o projeto Dejar el mundo para vivir en la tierra, de Vítor Rocha, parceria entre a chilena Agencia de Comunicaciones Catalejo e a brasileira Caranguejeira Filmes.

Brasil-Portugal

O edital de coprodução com Portugal teve quatro projetos de longas-metragens selecionados, na parceria da Ancine com o seu equivalente lusitano, o Instituto do Cinema e do Audiovisual (ICA/IP). Na fase final do processo seletivo, foram analisados 15 projetos pela comissão formada por representantes dos dois países.

Entre os selecionados, dois são projetos de coprodução minoritária brasileira: A carrinha, de Laura Seixas, com a Buriti Filmes como proponente brasileira e a Take it Easy Produções Audiovisuais como parceira portuguesa, e A trança de Inês, de António Ferreira, com coprodução entre a brasileira Refinaria Produções e a portuguesa Diálogos Atómicos.

As duas produções receberão aportes equivalentes a US$ 150 mil, cada, em moeda local. Os sertões, de Miguel Gomes, coprodução entre Bananeira Filmes e O Som e A Fúria, ficou como projeto suplente.

Já os projetos de coprodução minoritária portuguesa escolhidos, a serem premiados pelo ICA/IP, foram: Desterro, de Maria Clara Escobar, parceria entre a Terratreme, de Portugal, e a Filmes de Abril Produções Audiovisuais, parceira majoritária brasileira, e O clube dos anjos, de Ângelo Defanti, coprodução entre a lusitana Ukbar Filme, e as brasileiras Dezenove Som e Imagens Produções e Sobretudo Produção Audiovisual e Artística.

António, de Luís António Pereira, com a portuguesa Take 2000 e a brasileira Panda Filmes como parceiras, foi classificado como projeto suplente.

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO