Terça-Feira, 22 de Maio de 2018

Municipal
Quarta-Feira, 14 de Fevereiro de 2018, 07h:58

TENTATIVA DE RESGATE

Violência em Cuiabá: Bebê e mulher baleados estão em estado grave

Secretária de Saúde exige protocolo de segurança para atendimento de reeducandos

Redação

Reprodução

A violência de bandidos durante a tentativa de resgate de um preso na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Norte, na tarde de terça-feira (13), deixou em pânico pacientes e profissionais de saúde. Localizada no bairro Morada do Ouro, a UPA foi invadida por dois criminosos que entraram atirando para resgatar um preso levado para passar por atendimento médico. Ao todo cinco pessoas foram feridas.

As vítimas foram encaminhadas imediatamente para o Hospital e Pronto Socorro Municipal, onde foram atendidos. Entre os feridos há um bebê de 6 meses, atingido por um tiro no tórax e na mão. Seu estado de saúde é grave e ele se encontra no momento na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). A mãe dele foi atingida de raspão no ombro, informa a assessoria de comunicação da prefeitura de Cuiabá.

Ainda segundo a assessoria, outra paciente, mulher de 33 anos, também foi atingida no tórax e está em estado grave. Ela também foi transferida para a UTI. A enfermeira da UPA foi atingida na perna, recebeu todos os atendimentos necessários e o seu quadro é estável. O último paciente também foi atingido na coxa e está com o quadro estável. 

A secretária municipal de Saúde, Elizeth Araújo disse lamentar o ocorrido e falou sobre as providências a serem tomadas nos próximos dias. “Já vínhamos conversando com a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos em relação ao fluxo essencial do reeducando, para criarmos protocolos que assegurem o atendimento a eles como cidadãos, independente do crime que tenham cometido, para que tenham o direto de receber o tratamento de saúde quando for preciso. Mas, por outro lado, temos a obrigação de assegurarmos a segurança para os nossos trabalhadores e para a sociedade, usuários do SUS que vão buscar o atendimento na unidade e que se sentem inseguros em terem ali um reeducando. A situação que aconteceu hoje deixa claro que não dá mais para tratar todo mundo junto, no mesmo espaço. Não temos como criar uma estrutura separada só para atendimento aos reeducandos, por isso precisamos urgentemente fechar os protocolos de segurança que já estamos discutindo e colocá-los em prática para dar segurança aos profissionais e à população. Essa, infelizmente, é uma situação que além de ter atingido fisicamente cinco pessoas, atingiu psicologicamente os nossos servidores da UPA, que ficaram extremamente abalados”, comentou a secretária.

Elizeth Araújo reforçou que a situação ocorrida nesta terça-feira mostra a urgência do governo do estado e, principalmente quem é responsável direto pela assistência à saúde dos reeducandos, além da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos, Secretaria de Estado de Saúde e da Secretaria Municipal de Saúde, de fechar o protocolo “Para evitar qualquer situação de constrangimento para o reeducando e de insegurança para a população vamos realizar essa semana reuniões para estabelecer esse local de atendimento com protocolo de segurança. Lembrando que as unidades contam com policial por meio de um convênio firmado entre a Secretaria de Ordem Pública, a Prefeitura, a Secretaria de Justiça e Secretaria de Segurança Pública, através de um projeto criado pelo prefeito Emanuel Pinheiro quando ainda era deputado, chamado de Jornada Voluntária, onde o policial militar, durante o período da sua folga, trabalha de forma remunerada pela SMS. Com isso ele usa todo seu treinamento policial para dar um pouco de segurança para quem atua nas UPAS e no PS. Precisamos ampliar este serviço ainda para os Centros Odontológicos, que funcionam 12 horas e Policlínicas, que funcionam 24 horas”, finalizou.

Segundo informações da coordenação da unidade, a UPA Norte foi reaberta nesta quarta-feira (14).

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO