Terça-Feira, 14 de Julho de 2020

Municipal
Terça-Feira, 23 de Junho de 2020, 14h:42

LOCKDOWN EM CUIABÁ E VG

Emanuel estuda recurso para não fechar o comércio enquanto número de mortos aumenta

Jô Navarro

Reprodução

Enquanto o Governo de Mato Grosso e a Prefeitura de Várzea Grande decidiram não recorrer da decisão do juiz José Luiz Lindote, da 1ª vara Especializada da Fazenda Pública em VG, que determinou o cumprimento das medidas elencadas no Decreto 522, o prefeito da Capital, Emanuel, estuda recorrer para evitar o fechamento do comércio.

Totalmente desconectado de fundamentação científica e sem qualquer critério técnico para proteção da saúde da população, as medidas propostas por ele [Emanuel Pinheiro] contribuem, na prática, para provocar aglomerações no comércio [redução do horário de funcionamento] e no transporte coletivo [redução da frota a 30%].  "Constata-se que os decretos editados nem de longe se enquadram nas Normas Científicas e do Decreto Estadual, deixando claro que as atividades essenciais foram classificadas de modo aleatório, ao talante do administrador, fato que não tem consistência e não pode vingar", diz trecho da decisão judicial.

Na decisão, o magistrado determina que os municípios devem ainda implementar barreiras sanitárias, para triagem de entrada e saída de pessoas, permitindo apenas a circulação de quem exerce atividades essenciais e manter apenas os serviços públicos essenciais, exceto salões de beleza e barbearias e academias.

O presidente da Câmara Municipal de Cuiabá, Misael Galvão, manifestou apoio ao prefeito, pois é contrário ao fechamento do comércio, sobretudo do Shopping Popular, ao qual é historicamente ligado.

Por outro lado, o Sindicato dos Médicos (Sindimed-MT) e o Conselho Regional de Enfermagem (Coren-MT) pedem o fechamento do comércio a fim de controlar o avanço da Covid-19. Segundo dados de portais de acompanhamento da doença, é cada vez maior o número de profissionais de Saúde infectados pelo vírus. Ontem faleceu uma técnica de enfermagem que trabalhava no Hospital Estadual Santa Casa (HESC). Somente ontem (22), morreram 10 pessoas em Cuiabá e o número não para de aumentar.

Segundo uma fonte do Caldeirão Político, vários profissionais que atuam no HESC apresentam sintomas da doença e foram afastados do trabalho a fim de cumprirem o isolamento domiciliar.

Veja abaixo a nota do Governo:

"O Governo de Mato Grosso, por meio da Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT), manifesta apoio à decisão judicial que orienta os municípios de Cuiabá e Várzea Grande a cumprirem as recomendações do Decreto Governamental nº 522, de 12 de junho de 2020.

No próprio Decreto, a gestão estadual sinaliza as ações fundamentais de acordo com a classificação de risco dos municípios.

No que se refere à responsabilidade do Estado que consta na decisão, o Governo já trabalha na ampliação de leitos e tem mantido constante diálogo com as Prefeituras e todas as informações serão prestadas no processo".

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO