Terça-Feira, 22 de Maio de 2018

Municipal
Quarta-Feira, 14 de Março de 2018, 08h:20

CUIABÁ

Em carta de demissão, secretária diz que crise na saúde é a maior nos últimos 10 anos

Cícero Henrique

Câmara Municipal de Cuiabá

Elizeth Araújo

Elizeth Araujo, ex-secretária de Saúde do município de Cuiabá, deixou a Pasta a pedido juntamente com 13 assessores. Eles assinaram uma carta entregue ao prefeito Emanuel Pinheiro no dia 9 de março colocando seus cargos à disposição e cobraram do prefeito a contratação de servidores comissionados (nomeados pelo prefeito) "mais qualificados para atuar na área de Saúde".

Na carta o grupo avalia que a crise na Saúde em Cuiabá é "a mais acentuada nos últimos 10 anos" e afirma que o "orçamento contingenciado tem nos impedindo de operacionalizar as ações administrativas de forma célere como exige uma Secretaria de Saúde, em que cada segundo é decisivo para salvar vidas".

A carta menciona ainda um desentendimento com o secretário adjunto de Assistência à Saúde, Milton Correa da Costa: "Porém, diante de todo o contexto em que temos vivenciado no decorrer destes 14 meses e mediante o pedido feito por vossa senhoria para dentro do prazo de 30 dias buscar entendimento harmonioso com o secretário adjunto de Assistência à Saúde, senhor Milton Correa da Costa, nos manifestamos que após diversas tratativas ao longo deste período em busca do comprometimento, parceria e envolvimento com o programa de governo de Emanuel Pinheiro, por parte do mesmo, entendemos que não será possível sustentar esta situação, embora estejamos preocupados com todo o reflexo que está situação está causando à gestão como um todo, e principalmente à imagem do chefe do executivo municipal".

Segundo Elizeth Araújo, faltam 249 tipos de medicamentos na rede pública.

Ontem (13-02) o prefeito Emanuel Pinheiro, sem comentar a carta de Elizeth, anunciou a troca da cúpula da Secretaria Municipal de Saúde, com a nomeação do médico Huark Correia como interino e Flávio Taques, contador, como adjunto. Caberá a Taques a gestão de medicamentos, obras em andamento e manutenção das unidades em funcionamento.

Veja abaixo a carta de demissão coletiva:

Carta 1 saúde

 

Carta 2 saúde

 

Carta 3 saúde

 

 

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO