Sábado, 19 de Outubro de 2019

Municipal
Quinta-Feira, 03 de Outubro de 2019, 15h:15

SALMONELLA E SHIGELLA

Bactérias causaram intoxicação em 72 alunos em Várzea Grande

Depois do susto, prefeitura integrou a escola à rede de abastecimento do DAE-VG

Redação

Reprodução

Laudo laboratorial confirma que a intoxição de 72 alunos da Escola Municipal Abdala José de Almeida, em Várzea Grande, ocorreram por meio de duas bactérias, a SHIGELLA SP e SALMONELLA SPP.  

A Shigelose é uma doença infecciosa causada por um grupo de bactérias chamadas Shigella. Adquire-se a infecção por meio da ingestão de água contaminada ou alimentos contaminados.

As fontes de infecção são fezes de pessoas infectadas ou de portadores convalescentes; seres humanos são o único reservatório natural para Shigella. A disseminação direta ocorre por via fecal-oral. A disseminação indireta ocorre por alimentos contaminados e fômites. Mosquitos servem como vetores.

Salmonella (Salmonellose) é uma bactéria da família das Enterobacteriaceae que causa intoxicação alimentar e em casos raros, pode provocar graves infecções e até mesmo a morte.

Após a confirmação do Lacen-MT a prefeitura informa que trocou os bebedouros, integrou a escola à Rede Pública do Departamento de Água e Esgoto – DAE/VG e aguarda o início das férias para realizar reforma na escola.

Confira abaixo íntegra da nota oficial da Prefeitura de Várzea Grande:

 

Nota oficial

As Secretarias Municipais de Comunicação Social - SECOM; de Educação, Cultura, Esporte e Lazer - SMECEL e de Saúde - SMS, todas do município de Várzea Grande têm o seguinte a informar sobre alunos da escola municipal de Educação Básica 'Abdala José de Almeida' que sofreram sintomas de intoxicação alimentar e dos resultados dos exames.

- No último dia 30 de agosto, na parte da tarde, uma turma de 72 alunos da Escola Municipal de Educação Básica Abdala José de Almeida, unidade escolar que reúne 800 alunos e mais 200 profissionais, acabaram sofrendo sintomas de intoxicação alimentar com vômito e diarreia, sendo que do total de 72 alunos da turma, 45 foram atendidos no Hospital Pronto Socorro e UPA IPASE;

- O Pronto Atendimento, acompanhado pelos titulares das pastas de Saúde e Educação, resultou, na liberação de todos no mesmo dia, medicados e sem maiores consequências;

- Imediatamente as Secretarias de Saúde e de Educação, além do acompanhamento dos atendimentos, deram início a uma série de averiguações das causas da intoxicação que atingiu menos de 10% do total de alunos da Escola 'Abdala José de Almeida';

- A Vigilância Sanitária foi acionada para averiguações e apontamentos que geraram Resultados das Análises Microbiológicas realizado pelo Laboratório LACEN/MT, aonde se constatou bactérias SHIGELLA SP e SALMONELLA SPP, em bebedouros e garrafão de água do auditório;

- Pedidos de contraprovas foram realizados em relação a alimentos acondicionados e da merenda escolar e descartados.
Diante dos fatos, medidas foram adotadas para se evitar qualquer tipo de outra ocorrência, lembrando que menos de 10% dos alunos e servidores da unidade tiveram algum sintoma sem maiores consequências. Entre as medidas adotadas estão:

- Interligação da unidade escolar a Rede Pública do Departamento de Água e Esgoto – DAE/VG;
- Troca de bebedouros que servem água potável para alunos e servidores;
- Manutenção periódica nos bebedouros de água com instalação de filtros de carvão ativado;
- Troca de freezer para acondicionamento de alimentos;
- Curso de Boas Práticas para Merendeiras;
- Realização de monitoramento mensal microbiológico;

Também será iniciada com o final do ano letivo as obras de reforma geral da Escola Municipal de Educação Básica 'Abdala José de Almeida', já licitada e ultimando os preparativos para assinatura do contrato da empresa vencedora do certame licitatório.

Dentro dessas obras estão a recuperação do poço artesiano, bem como a sua cloração.

As Secretarias de Saúde e de Educação, ambas de Várzea Grande determinaram a notificação das 85 unidades escolares municipais de forma preventiva para realização de monitoramento e da correta utilização de água e alimentos para a merenda escolar e consumo de alunos e profissionais da área.

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO